Eleições 2014 | Aécio Neves é entrevistado no Jornal Nacional

Aécio Neves durante entrevista ao Jornal Nacional.
Aécio Neves durante entrevista ao Jornal Nacional.
Aécio Neves durante entrevista ao Jornal Nacional.
Aécio Neves durante entrevista ao Jornal Nacional.

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, foi entrevistado, na noite desta segunda-feira (11/08/2014), no Jornal Nacional, da Rede Globo. Na entrevista, Aécio se comprometeu com os brasileiros a fazer um governo transformador, com ética e eficiência, e lembrou sua gestão em Minas Gerais, que levou o Estado a ter a melhor educação fundamental do Brasil, a melhor saúde do Sudeste e investimentos em infraestrutura que mudaram a vida da população.

Confira trechos da entrevista

Governo para as pessoas

Quero melhorar o Brasil é para Dona Brenda, que conheci essa semana lá nas margens do Rio Negro, no Amazonas, que quer um posto de saúde melhor na sua comunidade. Ou para o seu Severino, lá de Mauriti, no Ceará, que espera que as obras do São Francisco possam chegar perto da sua casa. Ele acha já acha que só os seus netos verão. Eu quero que a Suelen, lá de Campina Grande, que conheci no ano passado, continue vendendo na feira, como vendia. Não vende mais porque a inflação está aí a perturbar a vida de todos.

Eu quero fazer um governo para as pessoas. Um governo responsável, corajoso, que pense naquele que mais precisa da ação do Estado. Por isso, nesse instante, peço a você que esta nos ouvindo, o voto, o seu apoio para transformarmos de verdade o Brasil. Vocês vão se orgulhar muito disso.

Ética e eficiência

Quero governar o Brasil para iniciar um novo ciclo de desenvolvimento no país. Um ciclo que concilie ética com eficiência. Sem dúvida alguma, os quadros que temos à nossa disposição e a coragem que teremos para fazer o que precisa ser feito é que permitirá que, no nosso governo, o Brasil volte a crescer.

Retomada do crescimento e combate à inflação 

Vou tomar as medidas necessárias para que o Brasil retome o ritmo de  crescimento minimamente aceitável. Não é adequado, compreensível, que um país com as potencialidades do Brasil seja o lanterna do crescimento na América do Sul e estejamos aí de novo com aquela agenda que achávamos já derrotada há tempos, como a da inflação de novo a atormentar a vida do cidadão e da cidadã brasileira.

Transparência na economia

Tenho tido a oportunidade de me reunir com alguns dos mais talentosos economistas do Brasil, mas na outra ponta  também tenho conversado com as pessoas. O que o brasileiro quer? Transparência. Um governo que tenha coragem de fazer aquilo que seja necessário.

Corte de ministérios e política externa 

Vamos, sim, enxugar o Estado. Não é admissível, não é razoável que tenhamos hoje 39 ministérios – não apenas pelo custo dos ministérios, mas pela incapacidade deles de apresentarem resultados, entregarem serviços de qualidade às pessoas – e  que estejamos hoje vivendo uma política externa cujo alinhamento ideológico é prioridade sobre o pragmatismo, sobre o interesse real do Brasil e da nossa economia, e tudo isso levou a uma crise de confiança no Brasil.

Confiança 

Eu não vou temer tomar aquilo que seja necessário, as medidas necessárias para controlar inflação, retomar o crescimento e, principalmente, a confiança perdidas no Brasil, porque essa desconfiança em relação ao nosso país afugenta os investimentos.

Empregos perdidos 

Os investimentos indo embora, os empregos vão embora. O saldo da balança comercial de manufaturados, os produtos que mais agregam valor, produzidos no Brasil, foi negativo em R$ 107 bilhões. Sabe o que isso significa? Que os empregos que deveriam ser gerados no Nordeste brasileiro, no Centro-Oeste, no Norte, estão sendo gerados na Ásia e em outras partes do mundo. Isso tem que acabar.

Todos percebemos de forma muito clara que o Brasil parou de crescer; que os empregos de boa qualidade deixaram de ser gerados aqui, e até os de baixa qualidade também, segundo os últimos dados oficiais, estão deixando de acontecer.

Transformar experiências

A grande realidade é que administrar e, olha que eu fui um governador razoavelmente exitoso, é transformar, e transformar pra melhor as boas experiências. Todo mundo, de alguma forma, copia e aprimora e ninguém tem que ter vergonha disso. O meu governo vai ser renovador no padrão ético, no padrão moral, e, em relação e esse governo, vai ampliar as boas políticas.

Bolsa Família

O que é o Bolsa Família? O Bolsa Família é a junção do Bolsa Escola, Bolsa Alimentação e do Vale Gás, que vieram do governo do presidente Fernando Henrique e corretamente o presidente Lula os unificou e adensou. Eu não só vou continuar com o Bolsa Família, como eu quero que, além da privação da renda, as pessoas que o recebem possam ter uma ação do Estado para que outras carências, de saneamento, de educação, de segurança, possam também ser sanadas.

Diminuir diferenças

Minas Gerais avançou e avançou muito. Agora, Minas tem, no nosso território, o Vale do Jequitinhonha, o Norte mineiro, o Mucuri, que é uma região que historicamente tem um IDH menor do que a média do Nordeste. O grande esforço do nosso governo foi reduzir essas diferenças e fizemos isso.

A melhor educação

Minas tem hoje a melhor educação fundamental do Brasil, mesmo sendo um Estado heterogêneo e não sendo um dos mais ricos dos Estados brasileiros. A melhor saúde de toda a região Sudeste. É um Estado que se desenvolve muito.

Referência internacional

Minas é hoje referência não apenas no Brasil, mas fora do Brasil, com os organismos internacionais, como o Banco Mundial, de um modelo a ser seguido, com sensibilidade social e gestão profissional.

Saúde preventiva e qualificada

Estive há poucos dias reunido na USP, com a diretora da USP e outros renomados especialistas em saúde pública. No meio da reunião, vou lhe confidenciar isso, a diretora da USP disse a mim: Aécio, você não tem nada o que aprender conosco aqui sobre saúde pública, não. O que vocês fizeram em Minas foi transformador, seja em relação à saúde preventiva, onde dobramos os números de equipe do programa Saúde da Família, ou na qualificação dos hospitais através do Pro-Hosp, na preparação das pessoas. Saúde é prioridade para qualquer governo responsável e será no nosso.

Minas: governo transformador e transparente

O meu governo foi um governo republicano, foi um governo absolutamente transparente. Eu transformei Minas Gerais num Estado que tem a melhor educação do Brasil no ensino fundamental, a melhor saúde de toda região Sudeste. Nós ligamos, no planejamento, aliás, algo que falta hoje no plano federal, todas as cidades mineiras que não tinham asfalto. Duzentas e vinte e cinco cidades foram ligadas por asfalto no meu governo. 450 cidades não tinham telefonia celular. Fiz a primeira PPP do Brasil e liguei essas cidades ao desenvolvimento através da telefonia celular. E fiz um programa chamado ProAero, que ligou [aeroportos de] 29 cidades, de um total de 92 aeroportos que existem espalhados por Minas, você sabe que Minas é o Estado que tem o maior número de municípios, somos 853, como instrumento do desenvolvimento regional.

Programas sociais

Aécio garantiu que vai manter os atuais programas sociais, com o compromisso de aperfeiçoá-los. Ele citou o exemplo do Bolsa Família, que teve origem em programas sociais iniciados no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso. “Eu não só vou continuar com o Bolsa Família, como eu quero que as pessoas que o recebem possam ter uma ação do Estado para que outras carências, como a de saneamento, de educação, de segurança possam também ser sanadas”, disse. E em seguida completou: “Meu governo vai ampliar as boas políticas. É isso que deve fazer o bom gestor”, disse.

Economia

O candidato disse que não vai fugir da tarefa de tomar as medidas necessárias para melhorar a economia, retomando o crescimento e combatendo a inflação. Ele lamentou o fato de o Brasil apresentar o menor índice de crescimento econômico na América Latina e ter parado de gerar empregos. “Tenho dito de forma clara que vou tomar as medidas necessárias para que o Brasil retome o crescimento sustentável. O brasileiro quer transparência, coragem de fazer o que é necessário”, disse Aécio. Para ele, a atual política econômica do governo afugenta os investimentos e, consequentemente, a geração de empregos.

Sobre a necessidade de enxugar a administração pública, Aécio afirmou: “Nós vamos, sim, enxugar o Estado, não é admissível, não é razoável que nós tenhamos hoje 39 ministérios, não apenas pelo custo dos ministérios, mas pela incapacidade de eles apresentarem resultados, entregarem serviços de qualidade para as pessoas”.

Denúncias

Questionado sobre eventuais semelhanças entre o PT e o PSDB no que se refere a escândalos de corrupção, Aécio foi categórico: “Eu acho que a diferença é enorme. No caso do PT, houve uma condenação pela mais alta Corte brasileira. Estão presos líderes do partido, pessoas que tinham postos de destaque na administração federal, por denúncias de corrupção. Eu nunca torci para ninguém ser preso, sendo aliado ou adversário, apenas torcia sempre e esperava que a Justiça se manifestasse.”

Aécio acredita que, independentemente do partido, denúncias consistentes devem ser investigadas. “O que eu posso garantir é que, no caso do PSDB, se eventualmente alguém for condenado, não será, como foi no PT, tratado como herói nacional, porque isso deseduca”.

Aeroporto

Aécio reafirmou que o aeródromo de Cláudio (MG) foi feito com total transparência e que faz parte de um amplo projeto de infraestrutura no Estado, cujo objetivo, já cumprido, foi ligar todas as cidades mineiras por estradas asfaltadas, por telefonia celular e pelo acesso a aeroportos. “Meu governo [em Minas Gerais] é reconhecido como governo transformador, deixei Minas com 92% de aprovação”, disse.

Apuração

Em relação ao PSDB ou aqueles sem partidos, se tiverem denúncias que sejam consistentes têm que ser investigadas e tem que responder por elas. O que eu posso garantir que, no caso do PSDB, se eventualmente [alguém] for condenado, não será, como foi no PT, tratado como herói nacional, porque isso deseduca. Todos os partidos estão aí e tem a possibilidade de ter nomes que sejam envolvidos em quaisquer denúncias. Apuração e punição. É isso que esperam os brasileiros, independentemente da filiação partidária. Independentemente do partido político, eu acho que qualquer cidadão tem que responder pelos seus atos.

“Inflação voltou a atormentar a vida de quem vive no Brasil”, afirma Aécio

O impacto da inflação na vida das famílias brasileiras é uma das principais preocupações do candidato da Coligação Muda Brasil à Presidência da República, Aécio Neves. Em entrevista à GloboNews, nesta segunda-feira (11/08), Aécio se comprometeu a reduzir a inflação durante o seu mandato. “Estive essa semana nas margens do Rio Negro, me reuni com as donas de casa e elas me diziam: ‘O que eu comprava há um mês não compro hoje e sei que daqui a um mês já não vou comprar mais’. A inflação voltou a atormentar a vida de quem vive no Brasil”, contou Aécio.

Segundo o candidato, a redução da inflação será possível por meio da reversão das expectativas negativas com a economia, que também possibilitará a retomada dos investimentos. “Nós temos a capacidade, mais do que o atual governo, de gerar confiança no mercado. E crescimento, investimento e até inflação se movem muito em relação às expectativas pelo futuro, pelo que está por vir. Eu não tenho dúvidas de que, por termos sinalizado de todas as formas como respeitadores das regras, como não intervencionistas, um grupo político que respeita contratos, nós vamos criar um ambiente de estabilidade para a retomada do investimento. E a retomada do investimento vai ser a principal alavanca que vai ajudar o Brasil a superar suas dificuldades”, disse.

Aécio defendeu também a política do seguro-desemprego como um instrumento de defesa do trabalhador. Ele lembrou que este foi um dos benefícios criados pelo PSDB no governo de Fernando Henrique Cardoso. Aécio garantiu que não alterará as regras do benefício. “O que há hoje no seguro desemprego é uma péssima gestão. Essa péssima gestão vai ser corrigida com a profissionalização do setor público. Nós temos hoje um aparelhamento da máquina pública que desqualifica os resultados em todas as áreas. Existem excessos? Tenho informações que sim. Mas quero assumir o governo para ver de que contas são esses excessos, onde eles se dão”, afirmou.

Mais Médicos

Durante a entrevista, Aécio se comprometeu a aumentar os investimentos federais na saúde pública. Ele voltou a defender o programa Mais Médicos e afirmou que renovará o contrato dos médicos cubanos, se for necessário. “Enquanto houver necessidade, nós vamos renegociar esses contratos, mas não pagando 70% do valor ao governo de Cuba. Vamos renegociar esse valor com a força do governo brasileiro, pagando o que recebem médicos de outras partes do mundo. Falar em Mais médicos e não falar em mais saúde é um engodo. E isso é não levar a sério uma questão tão grave como essa.”

Aécio afirmou que seu governo vai investir muito mais em saúde pública do que vem sendo investido hoje e reiterou seu compromisso de criar uma carreira nacional de médicos. “Eu quero qualificar os médicos brasileiros que vão se formar. Eu quero criar uma carreira nacional dos médicos. Isso é essencial para que, assim como ocorre na magistratura, no Ministério Público, os médicos possam ir para determinadas comunidades e ao longo do tempo, pelo seu mérito, e pela qualidade de seu trabalho eles possam vir a ser promovidos para outras regiões.”

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 116922 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.