Presidente da Câmara Federal, Henrique Alves faz balanço do 1º semestre de 2014 e destaca aprovação do PNE

O Plano Nacional de Educação prevê a aplicação de 10% do PIB no setor. No campo dos direitos sociais, Henrique Alves citou a criação de cotas para negros em concursos públicos.
O Plano Nacional de Educação prevê a aplicação de 10% do PIB no setor. No campo dos direitos sociais, Henrique Alves citou a criação de cotas para negros em concursos públicos.
O Plano Nacional de Educação prevê a aplicação de 10% do PIB no setor. No campo dos direitos sociais, Henrique Alves citou a criação de cotas para negros em concursos públicos.
O Plano Nacional de Educação prevê a aplicação de 10% do PIB no setor. No campo dos direitos sociais, Henrique Alves citou a criação de cotas para negros em concursos públicos.

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, fez nesta quarta-feira (25/06/2014) pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão para apresentar um balanço dos trabalhos legislativos do primeiro semestre do ano e defender a importância do Congresso Nacional para a democracia brasileira.

Alves afirmou que o Legislativo é um poder aberto às pressões “legítimas” da sociedade. “Aceitamos a crítica justa e equilibrada, mas repudiamos juízos generalistas e apressados, que atingem irresponsavelmente a imagem do Legislativo. Não queremos complacência. Queremos o respeito devido à Casa do povo brasileiro”.

Em seu balanço, o presidente da Câmara destacou que, ao longo dos últimos meses, foram votados diversos projetos que fizeram o Brasil avançar nos campos social, econômico e institucional. “Isto só aconteceu porque contamos com a colaboração dos líderes partidários e de todos os deputados. Foi um paciente trabalho de diálogo interno, de interação com a sociedade, com reflexos positivos na vida dos brasileiros”, afirmou.

Educação

A decisão mais importante da atual legislatura, segundo Alves, foi a aprovação do Plano Nacional de Educação (PNE), que obriga o governo federal a destinar 10% do Produto Interno Bruto (PIB) à educação. “O investimento permanente vai garantir a realização das metas do PNE, entre elas a de colocar na escola todas as crianças de 4 e 5 anos, triplicar as vagas no ensino profissionalizante e erradicar o analfabetismo”, destacou o presidente da Câmara.

O presidente lembrou ainda a aprovação do projeto que libera a publicação de biografias sem autorização prévia (PL 393/11) e do marco civil da internet (Lei 12.965/14), que assegura a neutralidade e a liberdade na internet, “o que fez do Brasil o país pioneiro nesse campo”.

Henrique Eduardo Alves também destacou o trabalho pelo fortalecimento da indústria da informática, ao prorrogar por 15 anos a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para o setor. “Garantimos também a prorrogação, por mais 50 anos, da Zona Franca de Manaus [PEC 103/11] e ampliamos o alcance do Supersimples para empresas e profissionais liberais de várias áreas [PLP 221/12].”

Direitos sociais

No campo dos direitos sociais e trabalhistas, Alves lembrou que a Câmara aprovou a lei de cotas nos concursos para o serviço público, já sancionada pela presidente Dilma Rousseff. De acordo com a regra, 20% das vagas serão de candidatos que se declarem negros ou pardos. “Na votação, inclusive, passei a Presidência da Câmara para a deputada Benedita da Silva [PT-RJ]”, lembrou o presidente da Casa.

Ele salientou ainda a instituição do piso salarial nacional de R$ 1.014 para os agentes comunitários de saúde e de endemias (Lei 12.994/14).

“Ouvimos o clamor da sociedade e aprovamos leis que fortalecem a cidadania ou restringem práticas questionáveis”, assinalou o presidente da Câmara.

Uma das propostas aprovadas restringe o uso indiscriminado de animais em testes na indústria de cosméticos (PL 6602/13). O texto passou pelo Plenário da Câmara e aguarda análise no Senado.

Violência contra crianças

Outra proposta considerada importante por Alves é a que cria a chamada Lei Menino Bernardo, que garante a crianças e adolescentes o direito de serem educados sem receber castigos físicos e tratamento cruel ou degradante (PL 7672/10). A proposta aguarda sanção da Presidência da República.

Alves destacou também a aprovação de proposta que obriga a União, os estados e o Distrito Federal a garantir a presença de defensores públicos em todas as comarcas (Emenda Constitucional 80) e o novo Código de Processo Civil (CPC), que foi aprovado pela Câmara e retornou ao Senado.

Marcha dos prefeitos

Henrique Alves ainda ressaltou a participação da Câmara na Marcha dos Prefeitos em Brasília. “Avançamos com o trabalho para aprovar a emenda constitucional (PEC 406/09) que aumenta os percentuais do Imposto de Renda e do IPI destinados ao Fundo de Participação dos Municípios [FPM]”. Quando aprovado, segundo o presidente da Câmara, o acréscimo de 2% significará mais R$ 7 bilhões por ano no orçamento das cidades, que enfrentam graves dificuldades financeiras.

Baixe

Íntegra do pronunciamento de Henrique Eduardo Alves

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108703 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]