MPF recorre para restaurar prisão preventiva do vereador soteropolitano Marco Prisco

Instituição relembra à Justiça Federal que, mesmo respondendo a duas ações penais e submetido a cautelares da Justiça Estadual, o réu Marco Prisco Caldas Machado seguiu infringindo a lei e deflagrou o motim de 2014.
Instituição relembra à Justiça Federal que, mesmo respondendo a duas ações penais e submetido a cautelares da Justiça Estadual, o réu Marco Prisco Caldas Machado seguiu infringindo a lei e deflagrou o motim de 2014.
Instituição relembra à Justiça Federal que, mesmo respondendo a duas ações penais e submetido a cautelares da Justiça Estadual, o réu Marco Prisco Caldas Machado seguiu infringindo a lei e deflagrou o motim de 2014.
Instituição relembra à Justiça Federal que, mesmo respondendo a duas ações penais e submetido a cautelares da Justiça Estadual, o réu Marco Prisco Caldas Machado seguiu infringindo a lei e deflagrou o motim de 2014.

No último sábado, 31 de maio de 2014, o Ministério Público Federal (MPF) na Bahia ajuizou, no plantão da Justiça Federal, recurso para restaurar a prisão preventiva de Marco Prisco, líder dos motins da Polícia Militar (PM) na Bahia em 2012 e 2014. A revogação da prisão foi concedida pela Justiça na sexta-feira, 30 de maio. Para o MPF, a manutenção do réu em presídio de segurança máxima fora do estado é a única medida capaz de evitar novo risco à segurança pública.

A revogação da prisão foi concedida na sexta-feira, 30 de maio, pela 17ª Vara da Justiça Federal na Bahia, mesmo após o Supremo Tribunal Federal (STF) negar liminares em quatro pedidos de habeas corpus impetrados pela defesa de Prisco. O MPF compartilha o entendimento do Supremo nestas decisões – de que a liberdade do réu configura uma contínua ameaça à coletividade, pois o fim da paralisação da PM não fez cessar o risco que ele representa à ordem pública. Além destes pedidos liminares negados, foram protocolados três pedidos de revogação de prisão preventiva, um embargo de declaração e dois pedidos de liberdade provisória, todos sem êxito até a última sexta-feira.

Prisco já respondia a duas ações penais, uma na Justiça Federal e outra na Estadual, e estava submetido a medidas cautelares impostas por essa última quando liderou o motim de 2014, desrespeitando completamente as ordens judicias e, reiteradamente, a lei. Por esta razão, o MPF acredita que as medidas cautelares propostas pela decisão que revogou a prisão preventiva não são capazes de assegurar que o ex-PM deixe de incitar movimentos que desestabilizem a paz social e coloquem em risco a segurança da população do estado da Bahia e de outras unidades da Federação.

No recurso, que deve ser encaminhado ao STF, o MPF requer “a reforma da decisão recorrida, restabelecendo-se a prisão preventiva de Marco Prisco Caldas Machado, a ser cumprida no sistema penitenciário federal, fixando-se o prazo mínimo de 180 dias para a custódia em presídio federal de segurança máxima indicado pelo Departamento Penitenciário Nacional, nos termos do art. 5º, §5º, da Lei nº 11.671/2008”.

Baixe

Ação criminal contra Marco Prisco Caldas Machado e outras seis pessoas

Leia +

MPF recorre para restaurar prisão preventiva do vereador soteropolitano Marco Prisco

Justiça manda soltar vereador do PSDB de Salvador Marco Prisco

Mobilização pacífica marca aniversário do vereador soteropolitano Marco Prisco

Ministro Ricardo Lewandowski determina que junta médica do STF avalie saúde de Marco Prisco

Vereador pelo PSDB soteropolitano, Marco Prisco pede prisão domiciliar ao Supremo

Vereador soteropolitano Hilton Coelho visita preso provisório Marco Prisco, e fala em condições insalubres

Crise na PM/BA | Ministro Ricardo Lewandoski argúi violação da Constituição Federal e instalação de terror como argumentos para manter prisão de Marco Prisco

STF nega habeas corpus a Marco Prisco. MPF acusa vereador do PSDB de formar quadrilha armada e violar Estado Democrático de Direito

Crise na PM/BA | Supremo decide sobre habeas corpus de Marco Prisco. Líder da greve continua preso no Complexo da Papuda

Crise na PM/BA | PGR envia ofício a desembargador do TRF1 sore prisão de Marco Prisco. Decisão sobre liberdade cabe ao STF

Crise na PM/BA | MPF diz que vereador do PSDB Marco Prisco violou a Constituição e utilizou métodos terroristas resultando na morte de centenas de baianos

Crise na PM/BA | Preso líder do movimento grevista da PM baiana, o vereador pelo PSDB Marco Prisco

Crise na PM/BA | SSP esclarece que não participou da operação de prisão de Prisco e assegura cumprimento de acordo com associações

Crise na PM/BA | Marco Prisco, líder do movimento, é preso nesta tarde a pedido do MPF/BA

Motim da PM/BA: MPF processa Aspra, Marcos Prisco e mais dois por ressarcimento de R$15 milhões à União

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 109881 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]