Eleições 2014 – Bahia: Geddel Vieira Lima diz que esse modelo do PT é como bananeira que já deu cacho e precisa ser cortada

Geddel Vieira Lima durante a convenção da frente partidária Jorge Aleluia.
Geddel Vieira Lima durante a convenção da frente partidária Jorge Aleluia.
Geddel Vieira Lima durante a convenção da frente partidária Jorge Aleluia.
Geddel Vieira Lima durante a convenção da frente partidária Jorge Aleluia.

Ontem (16/04/2014) pela manhã, durante a convenção da Frente Partidária Jorge Aleluia, que reúne os partidos PSDC, PRP, PT do B, PPS e PTC,  numa coligação com a chapa majoritária da oposição, o pré-candidato ao Senado da República, Geddel Vieira Lima, deu seu testemunho do que tem visto nas viagens pelo interior da Bahia.

“Esse modelo que esta aí do PT é como bananeira que já deu cacho, a gente tem que cortar porque não dá mais nada”, disparou no início do seu discurso, compartilhando o sentimento que tem presenciado nos municípios baianos, como em Conceição do Coité, que visitou junto com a chapa neste domingo. “Essa eleição só tem um caminho, o da vitória”, revelou o peemedebista.

Geddel também comentou que abdicou do desejo pessoal de sair candidato a governador para viabilizar a unidade da oposição. “Mais importante do que meu desejo era conduzir o PMDB nessa grande unidade. Agora, desejo ser senador e posso garantir a quem tem o hábito de assistir a TV Senado e a quem não tem, mas passará a ter, que eu vou fazer uma confusão no Senado defendendo os interesses da Bahia. Vocês não terão um minuto de razão em se arrepender em ter me dado apoio. Construí uma carreira em Brasília, tenho um nome nacional, não preciso ser apresentado, no arriar das malas já chego lutando pela Bahia”, garantiu.

O presidente do PMDB da Bahia declarou ainda que não dá mais para continuar com essa Bahia em que estamos vivendo e que Paulo Souto é a pessoa certa para enfrentar os graves problemas que o Estado enfrenta. “Estou convencido de que Paulo tem experiência e talento para isso. Ele pode reorganizar o estado e nos devolver a fé no futuro com uma gestão eficiente”, pontuou, lembrando que na época do ex-governador a Bahia era um dos estados menos violentos do país e hoje é um dos que mais sofrem pela falta de segurança pública.

O demista confirmou que os atuais números da violência na Bahia são de uma guerra civil. “Não podemos conviver com essa situação por mais tempo, foram 34 mil mortes nos últimos sete anos, esses números revelam a ineficiência do governo, que ao invés de gastar uma fortuna em propaganda deveria pedir perdão aos baianos por tanta insegurança no nosso estado”, declarou Souto, confiante na vitória da oposição com o apoio dos partidos políticos que vão ajudar a Bahia a experimentar um novo período de desenvolvimento e com a ajuda de Geddel no Senado. “Geddel conhece os meandros de Brasília e vai defender os interesses da Bahia”, completou.

Participaram do evento os presidentes regionais do PSDC, Antonio Balbino, do PT do B, Dilma Gramacho, do PRP, Jânio Natal, do PPS, o vereador Joceval Rodrigues, do PTC, Rivailton Veloso, do PEN, Uezer Marques, entre outras lideranças política

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 110932 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]