Ministro Guido Mantega diz que crítica à produtividade do trabalhador ofende o Brasil

Guido Mantega: “O artigo é um despautério. Coloca o trabalhador brasileiro como preguiçoso.".
Guido Mantega: “O artigo é um despautério. Coloca o trabalhador brasileiro como preguiçoso.".
Guido Mantega: “O artigo é um despautério. Coloca o trabalhador brasileiro como preguiçoso.".
Guido Mantega: “O artigo é um despautério. Coloca o trabalhador brasileiro como preguiçoso.”.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, classificou ontem (06/05/2014) como “despautério” reportagem da revista britânica The Economist que critica a estagnação da produtividade do trabalhador brasileiro nas últimas cinco décadas. Segundo ele, o texto ofendeu o país ao classificar o trabalhador brasileiro de preguiçoso.

“O artigo é um despautério. Coloca o trabalhador brasileiro como preguiçoso. Acho que eles não conhecem nada do que está acontecendo. Nos últimos 50 anos, fizemos uma revolução no país. [O texto] ofende a nacionalidade brasileira. Diz que o trabalhador não gosta de trabalhar e sim de se divertir”, declarou o ministro em entrevista ao programa Espaço Público, da TV Brasil.

Segundo Mantega, a economia brasileira cresceu 17,7% de 2008, ano em que começou a crise econômica internacional, a 2013. O Reino Unido, país-sede da revista, registrou retração média do Produto Interno Bruto (PIB) de cerca de 2% no mesmo período. “Com que autoridade, eles vêm falar disso no Brasil? Ou eles não conhecem [a realidade do país], ou estão de má vontade”, criticou.

Na avaliação do ministro, o Brasil saiu-se relativamente bem em relação às economias avançadas porque o país promoveu a política anticíclica, aumentando os gastos públicos e reduzindo impostos, para estimular a economia. “Poderíamos ter feito a política convencional de reduzir o gasto e aumentar o desemprego. Aqui, não. Optamos por fazer uma política de retomada do crescimento, com reduções tributárias e aumento do crédito. Com essas medidas, nos recuperamos rapidamente”, acrescentou.

Comandado pelo jornalista Paulo Moreira Leite, o Espaço Público estreou nesta terça-feira na TV Brasil. Com uma hora e meia de duração, linguagem jornalística e pautas relevantes, o programa semanal vai receber personalidades das áreas de economia, política, cultura, saúde, segurança, tecnologia, comportamento e cotidiano, para discutir temas que afetam a vida da maioria da população.

Voltado para o cidadão, o programa pretende convidar os telespectadores a participar ativamente dos debates. O Espaço Público apresenta novas formas de interação para que o espectador demande, critique, sugira e participe. O programa levará ao ar ainda reportagens especiais e mostrará opiniões de especialistas para aprofundar a discussão dos grandes temas da atualidade.

Com mais de 40 anos de jornalismo, o apresentador, Paulo Moreira Leite, foi repórter do Jornal da Tarde e da Folha de S.Paulo e correspondente internacional da revista Veja e do jornal Gazeta Mercantil. Atualmente, é diretor da sucursal de Brasília da revista Isto É. O Espaço Público tem também como entrevistador o jornalista da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) Florestan Fernandes. Na estreia, o programa tem ainda a participação da jornalista Leandra Peres, do jornal Valor Econômico.

*Com informações da Agência Brasil.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 110959 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]