Fundadora da ADEPEPI cobra melhorias para pessoas com deficiência psicossocial. Confira debates da CMFS

Iracy Andrade: “A criação dos CAPS certamente foi de grande importância, entretanto, infelizmente, eles não estão cumprindo seu papel satisfatoriamente, por absoluta falta de investimentos necessários e urgentes para atender a demanda que está muito acima do esperado”.
Iracy Andrade: “A criação dos CAPS certamente foi de grande importância, entretanto, infelizmente, eles não estão cumprindo seu papel satisfatoriamente, por absoluta falta de investimentos necessários e urgentes para atender a demanda que está muito acima do esperado”.
Iracy Andrade: “A criação dos CAPS certamente foi de grande importância, entretanto, infelizmente, eles não estão cumprindo seu papel satisfatoriamente, por absoluta falta de investimentos necessários e urgentes para atender a demanda que está muito acima do esperado”.
Iracy Andrade: “A criação dos CAPS certamente foi de grande importância, entretanto, infelizmente, eles não estão cumprindo seu papel satisfatoriamente, por absoluta falta de investimentos necessários e urgentes para atender a demanda que está muito acima do esperado”.

Fundadora da ADEPEPI cobra melhorias para pessoas com deficiência psicossocial 

Na manhã desta quarta-feira (21/05/2014), a Câmara Municipal recebeu no plenário Iracy Andrade, fundadora da Associação de Pessoas com Deficiência Psicossocial (ADEPEPI), que usou a tribuna livre para falar, entre outras coisas, sobre as dificuldades encontradas nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e a importância da Reforma Psiquiátrica, que defende os direitos dos sujeitos em sofrimento psíquico e orienta mudanças na assistência em saúde dessa população.

Segundo Iracy, o CAPS III é o único que interna pacientes e, por isso, precisa ter médicos em regime de plantão 24 horas. “A criação dos CAPS certamente foi de grande importância, entretanto, infelizmente, eles não estão cumprindo seu papel satisfatoriamente, por absoluta falta de investimentos necessários e urgentes para atender a demanda que está muito acima do esperado”, reclama.

Ela acrescentou que “é inaceitável que usuários dos Centros de Atenção Psicossocial estejam sem oficinas de pintura há vários anos, por falta de telas e pincéis. É, no mínimo, improdutivo fazermos terapia com uma psicóloga quinzenalmente num grupo com quase 40 usuárias, como acontece atualmente no CAPs III”, lamenta.

A representante da ADEPEPI informou que o número de usuários é tão grande que tem médicos atendendo mais de 70 pacientes por dia no CAPS III. “É preciso que mais médicos sejam contratados emergencialmente, pois quando saímos de uma consulta hoje, só conseguimos agendar a próxima para meses depois”, afirma.

Iracy solicitou aos legisladores um projeto de lei que possibilite a inclusão da pessoa com deficiência psicossocial no mercado de trabalho. Com relação ao Governo do Município, ela pediu um espaço dentro do Mercado de Artes, para vender os produtos produzidos nas oficinas terapêuticas, bem como passe livre no sistema de transporte coletivo para esse publico, além de mais estrutura para os CAPS, a exemplo de informatização. 

Samu de Feira de Santana realizará concurso público, informa Neinha 

Em discurso na tribuna da Câmara Municipal, na manhã desta quarta-feira (21), a vereadora Aldney Bastos Marques – Neinha apresentou o relatório da Comissão de Educação, Cultura, Saúde e Desportos sobre a situação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Feira de Santana, em virtude da greve instaurada no dia 22 de fevereiro deste ano.

“Partindo da premissa de que o Samu tem por principal objetivo procurar amenizar a superlotação das emergências nos hospitais, o dia a dia dos profissionais de saúde que estão na linha de frente desse serviço torna-se frenético. E o programa atende aos casos mais variados de urgência, desde atropelamentos até paradas cardíacas. Neste diapasão, os profissionais que compõem o Samu de Feira de Santana iniciaram um movimento reivindicatório com o escopo de melhorar a qualidade dos serviços prestados à população”, diz o relatório.

Segundo o documento, o TAC – Termo de Ajustamento de Conduta – assinado entre a Prefeitura de Feira de Santana, o Ministério Público Federal e o Ministério do Trabalho da Bahia, como primeiro passo para a solução deste embate, garantirá à população feirense a realização de concurso público para provimento de vagas efetivas para o Samu.

“Quanto às denúncias apresentadas em face da coordenadora do Samu, Maisa Macedo, é necessário que após o oferecimento destas e, através do devido processo legal, os órgãos competentes (Ministério Público da Bahia e o Ministério do Trabalho) emitam o devido parecer”, informa a Comissão de Educação, Cultura, Saúde e Desportos, que é formada pelos vereadores Neinha (presidente), Eremita Mota (vice-presidente) e Beldes Ramos (membro).

Nery informa que comissão entregará relatório sobre irregularidades em construções da MRV 

Na sessão ordinária da Casa da Cidadania desta quarta-feira (21), o vereador Alberto Nery, atendendo solicitação do presidente do Legislativo feirense, Justiniano França, relatou sobre a visita da Comissão de Obras, Urbanismo e Infraestrutura aos empreendimentos da MRV Engenharia, em Feira de Santana, por conta das denúncias apresentadas pelo programa Fantástico da Rede Globo, no último domingo, sobre irregularidades em imóveis novos. Segundo Justiniano, a MRV está entre as cinco construtoras mais reclamadas no Procon de São Paulo, no ano de 2013.

O vereador petista contou que a referida Comissão – formada por Alberto Nery (presidente), Correia Zezito (vice-presidente) e David Neto (membro) -, acompanhada por prepostos da Prefeitura, verificou in loco a situação dos imóveis no município. Nery ressaltou que os empreendimentos da MRV visitados ficam no bairro 35º BI, ao lado da Vila Militar do 35º Batalhão de Infantaria; no bairro Jardim Acácia, na rua Papa João XXIII; e no bairro Tomba, no fundo da garagem da empresa R.S. Silva.

Ele salientou, por exemplo, que no bairro 35º BI há imóveis próximos ao Paiol (local onde são guardadas as munições do Exército). “Isso representa risco para os condôminos que forem morar naquele local. Além disso, encontramos outras irregularidades que serão apontadas em um relatório após uma reunião que nós estamos convocando para a próxima sexta-feira”, disse Nery, informando que a Comissão irá analisar, entre outras coisas, as plantas das obras mencionadas e o código de obras do município.

O vereador David Neto acrescentou que nas construções visitadas, a Comissão observou que não há unidades adaptadas para pessoas com necessidades especiais nem estação de tratamento de esgoto. Disse também que foram constatadas infiltrações em alguns imóveis.

Vereador propõe CPI para investigar Fluminense de Feira 

Na manhã desta quarta-feira (21), em discurso na sessão ordinária da Casa Legislativa, o vereador Isaías de Diogo (PPS) informou que está recolhendo assinaturas dos seus pares para aprovar um requerimento solicitando investigação administrativa do Fluminense de Feira Futebol Clube.

Segundo o edil, a atitude é motivada por uma sequência de problemas apresentados na Casa da Cidadania sobre o clube feirense. Ele ainda ressalta a importância do Fluminense de Feira, que já foi duas vezes campeão baiano e, hoje, se encontra na segunda divisão.

“Esta Casa vem trazendo situações de problemas financeiros. Não posso aceitar o Fluminense de Feira fracassado por conta de uma direção falida, que não tem interesse nenhum na vitória do clube. Eu não era nem nascido quando o Fluminense foi campeão”, disse.

Em relação ao financeiro, Isaías afirmou que diversas vezes os vereadores ajudaram o time com verbas de subvenção, mas mesmo assim o Fluminense não sai do “vermelho”. O edil afirmou que essa situação faz com que ele deixe de solicitar apoio para o referido clube.

Ele ainda citou que a diretoria do Fluminense teria dispensando atletas – “disponibilizados pelo pastor Márcio” – que hoje fazem um excelente trabalho no time do Colo Colo, da cidade de Ilhéus.

Para o vereador, o Fluminense de Feira deveria se espelhar no Bahia de Feira, que devido ao bom trabalho da diretoria, conquistou o Campeonato Baiano de Futebol, no ano de 2011.

Na oportunidade, o vereador José Carneiro (PSL) disse que não iria assinar a solicitação de CPI, porque não acredita que essa atitude contribua para o crescimento do Fluminense de Feira.

Magno Felzemburgh é o novo procurador jurídico da Câmara

O ex-vereador Magno Felzemburgh foi nomeado procurador jurídico da Câmara Municipal, em substituição ao advogado Rui Leme Padilha Junior, que assumiu, no último dia 20, o cargo de diretor do Departamento de Previdência Social, do Instituto de Previdência Social de Feira de Santana.

Felzemburgh terá como atribuições assessorar o presidente do Legislativo, a Mesa Diretiva e as Comissões Permanentes e Especiais nos assuntos jurídicos da Câmara Municipal de Feira de Santana; representar, ativa e passivamente, em juízo ou fora dele, a Casa Legislativa na defesa de seus interesses; assessorar juridicamente a Contabilidade nos processos de licitação e tomada de preços, bem como o Setor Pessoal.

Também cabe ao procurador jurídico assessorar a elaboração de minutas de editais de licitações e contratos; emitir pareceres, análises e estudos sobre questões de natureza jurídico-administrativa; além de executar atividades correlatas que lhe forem determinadas pela Presidência.

Magno Felzemburgh é graduado em Direito e professor universitário há 10 anos. Na ocasião em que exerceu a vereança, ele foi presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação Final. Em Feira de Santana também já atuou como diretor da Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) e diretor-presidente do Instituto de Previdência Social. Além disso, foi secretário da Secretaria Municipal do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico e da Secretaria Municipal de Habitação.

Vereador chama atenção da Coelba para religação de energia elétrica 

Em discurso na sessão ordinária da Câmara Municipal desta quarta-feira (21), o vereador Edvaldo Lima (PP) fez críticas à Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba), que, segundo ele, se nega a realizar religações de energia elétrica na rua Força e Luz, no bairro Tomba. O edil apresentou a situação difícil que passa a moradora Maria Donata, devido à falta de energia.

Edvaldo Lima relatou que a residência de Maria Donata está localizada abaixo de fios de alta tensão. Conforme o vereador, o imóvel dessa senhora estava sendo reformado e, quando a obra foi concluída, ela solicitou da Coelba a religação da energia elétrica, mas a empresa negou o serviço, sob a justificativa de que a casa está situada em um local delicado.

“Ela já tinha a energia elétrica em sua casa. Fez uma reforma e depois não quiseram religar, afirmando que ficava abaixo de fios de alta tensão. Então, por que a energia foi instalada antes? A senhora Maria Donata tem um filho pequeno e não pode ficar sem luz em sua casa. Gostaria de solicitar a sensibilidade da Coelba. Vou encaminhar à Coelba um ofício pedindo uma justificativa e vou também pedir ao prefeito que intervenha nesta situação, porque essa senhora não pode ficar sem energia em sua casa”, disse.

Ele informou que não é só no bairro Tomba que casas estão localizadas abaixo de fios de alta tensão. “Na Araújo Pinho, por exemplo, há muitas casas localizadas abaixo da rede de alta tensão, assim como em outros bairros da cidade, e em nenhum deles o fornecimento de energia foi suspenso”, comparou.

Comemoração

Ainda em seu discurso o vereador Edvaldo Lima tratou sobre uma escola em São Paulo que substituiu o Dia das Mães pelo Dia do Cuidador. O edil se manifestou contra a posição da instituição escolar.

“Então, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, quer acabar com o Dia das Mães? As mães não têm mais prestígio? O que está acontecendo com nossa sociedade? O prefeito não saiu da barriga de uma mulher não?” questionou o edil, indignado com a atitude.

Edvaldo descreveu a situação de uma criança na cidade de São Paulo que ficou muito sentida em não poder comemorar na escola o Dia das Mães. “Uma criança não gostou nem entendeu por que não seria mais comemorado em sua escola o Dia das Mães. O pai foi até a escola para saber e, chegando lá, foi informado que a decisão partiu da direção do estabelecimento de ensino. Mas, quero reforçar que cuidador não é mãe. Ninguém sai da barriga de um cuidador e isso não pode ser esquecido”, argumentou.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 115046 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.