Museu das Plantas Sagradas

Juarez Duarte Bomfim.
Juarez Duarte Bomfim.

Aqueles que empreenderem uma epopeica viagem ao Umbigo do Mundo, à encantadora Cidade de Cusco – Peru, se surpreenderão ao visitar o Museo de Plantas Sagradas, Mágicas y Medicinales naquela belíssima cidade, Patrimônio Cultural da Humanidade.

De fato é um pequeno museu, muito bem conservado, com nove salas, jardins com amostras das plantas mágicas e medicinais e uma cantina onde sorvemos um delicioso chá de alguma das plantas medicinais ali expostas e descritas. Eu preferi um mate de coca, providencial para encarar a vertiginosa altitude andina.

O andar térreo é quase todo dedicado à folha de coca, suas propriedades, sociabilidades geradas e usos rituais existentes em torno daquela folha. Informaçoes interessantes: a indicação que a coca é substância presente na receita da globalizada beberagem Coca-Cola… e um peculiar informe sobre a relação/adicção de Sigmund Freud, fundador da Psicanálise, à cocaína.

Nas salas de plantas enteógenas (plantas revelatórias, sagradas), termo que traz uma ressignificação da pejorativa expressão “plantas alucinógenas”, destaca-se o cacto San Pedro (Wachuma) e a Sala Pablo Cesar Amaringo, apresentado com justiça como gran maestro ayahuasquero.

O artista plástico peruano Pablo Amarigo, nascido em 1938 e falecido em 2009 é único e original em registrar na sua magistral pintura as visões e mirações do mítico universo ayahuasqueiro. Os seus quadros, pinturas, gravuras são indescritíveis, é preciso vê-los para compreender a grandeza de sua arte – da mesma maneira que o efeito da ayahuasca: é preciso viver, experienciar, para compreendê-la.

Mas advirto, é um caminho de poucos. A Sala Pablo Cesar Amaringo é muito bem ambientada, com iluminação adequada, música andina de fundo, um excelente vídeo numa modesta tela de TV, com as pinturas de Don Pablo se sucedendo nos slides, e banners com fotos e informações sobre a ayahuasca no Peru, que foi declarada Patrimônio Cultural Nacional – passos a serem seguidos no Brasil.

Também se transmitem informações sobre a situação jurídica da ayahuasca no Brasil, e da existência de igrejas da ayahuasca no nosso país – com algumas tonterías nas informações veiculadas, como denominar o falecido líder daimista Sebastiao Mota de Melo de “Padrinho Sebastião Costa” e aventar casos de suicídios entre usuários de ayahuasca.

Voltando a Pablo Amaringo, maior e talvez único pintor ayahuasqueiro: ninguém jamais retratou como ele as visões e mirações proporcionadas pela ayahuasca. Amaringo fundou uma escola de pintura em Pucallpa-Peru, o centro amazônico de pintura Usko-Ayar (príncipe espiritual, em quechua), oficialmente também denominada Usko-Ayar Amazonian School of Painting. Se ele transmitiu a seu filho, também pintor, ou a algum aluno a sua maestria, ainda não se sabe. Genialidade não se ensina, se nasce gênio.

Continuando o recorrido, chega-se a duas salas de plantas medicinais amazônicas, íntimas de quem conhece a farmacopeia popular acreana: a copaíba, a unha de gato, o sangue de dragão… e até a prosaica batatinha inglesa é apresentada como planta curativa, se ingerido o seu caldo cozido com casca e tudo.

Ah quando perguntei a guapísima balconista da recepção se o site do Museu trazia interessantes e ilustrativas informações, ela afirmou que sim. Façam boa viagem:  http://www.museoplantascusco.org/

Museu das Plantas Sagradas, Mágicas e Medicinais em Cusco-Peru. Visite-o.

 

Juarez Duarte Bomfim
Sobre Juarez Duarte Bomfim 740 Artigos
Baiano de Salvador, Juarez Duarte Bomfim é sociólogo e mestre em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), doutor em Geografia Humana pela Universidade de Salamanca, Espanha; e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Tem trabalhos publicados no campo da Sociologia, Ciência Política, Teoria das Organizações e Geografia Humana. Diversas outras publicações também sobre religiosidade e espiritualidade. Suas aventuras poético-literárias são divulgadas no Blog abrigado no Jornal Grande Bahia. E-mail para contato: [email protected]