PSB estimula e prepara candidaturas femininas para disputar eleições de 2014

Mulheres do PSB articulam disputa eleitoral.
Mulheres do PSB articulam disputa eleitoral.
Mulheres do PSB articulam disputa eleitoral.
Mulheres do PSB articulam disputa eleitoral.

Consolidar candidaturas femininas enquanto fator indispensável para amenizar o desequilíbrio  entre o contingente populacional feminino e a representatividade das mulheres nos parlamentos, cargos executivos e demais espaços de poder. Com este objetivo foi realizado, em Salvador, nesta sexta-feira (17/01/2014), o seminário “O PSB, as Mulheres e o Poder”, que teve como principais expositoras a presidente estadual da legenda, senadora Lídice da Mata, e a secretária de Políticas para as Mulheres de Pernambuco, Cristina Buarque.

“Do ponto de vista do que pensamos como socialistas, entendemos que a participação política faz parte do processo de emancipação e do combate à invisibilidade das mulheres. Somos 52% da população e temos um parlamento que não conta nem 10% de representação feminina, isso é sintoma de uma deformação da democracia brasileira”, destacou Lídice da Mata.

“Precisamos de uma reforma para democratizar e fazer com que o poder no Brasil tenha mais a cara das mulheres e dos negros desse País, em contraponto ao parlamento atual, que é predominantemente branco e masculino”, pontou Lídice, que postula a cabeça-de-chapa feminina do PSB baiano à sucessão estadual, tendo ao lado a ex-ministra do STF, Eliana Calmon, para o Senado. Eliana justificou sua ausência do Seminário em função de um encontro em Brasília com a coordenadora nacional da Rede Sustentabilidade, Marina Silva.

“Temos duas questões a resolver no Brasil: a da mulher e a questão racial. As políticas públicas de combate à pobreza não dão conta das identidades feminina e negra, que só fazem acumular mais desvantagens. É preciso criar uma política de desenvolvimento social que venha a mudar o aparato do Estado”, argumentou Cristina Buarque, para quem o País só conseguirá fazer o urgente e indispensável enfrentamento à violência contra a mulher se dispuser de recursos financeiros e políticos.

Cristina Buarque exaltou a sensibilidade do governador Eduardo Campos na política de redução dos feminicídios em Pernambuco. Em 2006 foram assassinadas 320 mulheres em Pernambuco, em 2012 foram 210. Foram de 22% a 32% por cento de vidas salvas a partir dessa política que inclui tornozeleira eletrônica para agressores, patrulha Maria da Penha nos bairros e mutirão judiciário”, explicou. “Tem muita coisa a ser feita para isso é preciso recurso,  independência e disposição do gestor”.

Cristina também ressaltou que “a violência contra a mulher é uma política que não pode viver de projeto, precisa ser sistemática e universalizada. Os estados acham ótimo receber unidades do programa federal Casa da Mulher Brasileira, até porque não dispõe de absolutamente nenhum recurso para construir espaços de acolhimento, mas não adianta o governo federal dar a estrutura se o custeio que tiver de ser bancado por estados e municípios”, criticou.

Vera Lúcia Barbosa, secretaria da SPM-BA, foi representada pela superintendente Alice Bittencourt. Compuseram a mesa a presidente da Força Sindical, Nair Goulart, a secretaria estadual de Mulheres do PSB, Luciana Cruz;  e Lena Souza, liderança do movimento de mulheres. Também participaram do encontro a vereadora Fabíola Mansur, a presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores Domésticos, Creuza Oliveira, a coordenadora estadual da Rede Sustentabilidade, Rose Bassuma, e a vice-prefeita de Eunápolis, Maria Menezes.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 109707 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]