Feira de Santana sedia lançamento do plebiscito por constituinte exclusiva para reforma política

Organizações apontam para a luta social: um Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político Brasileiro.
Organizações apontam para a luta social: um Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político Brasileiro.
Organizações apontam para a luta social: um Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político Brasileiro.
Organizações apontam para a luta social: um Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político Brasileiro.

Ocorre no dia 14 de dezembro (2013), em Feira de Santana, o lançamento do Plebiscito Popular por uma Constituinte e Exclusiva Soberana do Sistema Político Brasileiro. O evento acontece ás 19h, no Teatro Arena no Cuca e conta com a presença de entidades organizadas da sociedade civil, sindicatos, partidos políticos, movimentos sociais populares e entidades ligadas a igreja.

O objetivo é mobilizar toda a sociedade feirense a fim de discutir e buscar soluções que visem renovar o atual sistema politico brasileiro, priorizando a construção do comitê local que agregará todas as entidades envolvidas no movimento de Feira de Santana.

A campanha nacional e o Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político foi lançada em Brasília no dia 16 de novembro, com o apoio da Central Única dos Trabalhadores e de mais de 70 entidades dos movimentos sociais de todo o país.   Na ocasião foram debatidas propostas para a campanha e definida também uma secretaria operativa permanente . O plebiscito, em si, ocorrerá entre os dias 1º e 7 de setembro de 2014 e trará uma única pergunta à população: “Você é a favor de uma constituinte exclusiva e soberana sobre o sistema político?”.

A CUT e as entidades dos movimentos sociais defendem a mudança do sistema político como forma de garantir maior e melhor representação e participação da sociedade e, especialmente, da classe trabalhadora nos processos e espaços de debate e decisão de questões nacionais. Daí a importância do plebiscito, para garantir a participação popular de um espaço exclusivo para mudar o sistema político brasileiro, e não apenas alterar questões eleitorais, como tem feito o Congresso Nacional.

Na cartilha que a CUT divulgou mostra que a atual Constituição Federal, que é de 1988, apesar de apresentar avanços, foi feita com “regras herdadas da ditadura militar” e por uma Assembleia Nacional composta por deputados federais e senadores eleitos pelo poder econômico, sem a tarefa de se dedicar exclusivamente ao texto da Carta Magna.

Os movimentos sociais querem que, dessa vez, o povo decida, em plebiscito, se quer um espaço exclusivo para promover as reformas políticas que o Brasil tanto necessita. Assim, os eleitos para a Constituinte exclusiva cuidariam apenas da mudança do sistema político.

O QUE PRECISA MUDAR

A CUT e os movimentos sociais destacam que a mudança do sistema político é o caminho para livrar a política brasileira do poder econômico e abrir espaço à participação popular direta nos processos e esferas de decisão dos rumos do país.

A avaliação é de que, apesar de avanços registrados nos últimos anos, ainda existe uma estrutura excludente no Brasil que impede a maioria de participar e se fazer representar institucionalmente. A reforma do sistema político ampliará e fortalecerá a democracia brasileira, por isso ela é indispensável para que ocorram outras reformas.

Para entender porque a reforma do sistema político é tão importante para o país, os números indicam que em 2008, as empresas doaram 86% dos recursos totais da campanha eleitoral. Em 2010, 91% e, em 2012, 95%.

A representação política é outro grave problema porque o sistema eleitoral é marcado por grave distorção da realidade brasileira.

Dos 594 parlamentares (513 deputados e 81 senadores) eleitos em 2010, 273 são empresários, 160 compõem a bancada ruralista, 66 são da bancada evangélica e apenas 91 parlamentares são considerados representantes dos trabalhadores, da bancada sindical, segundo dados do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap).

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 105798 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]