Com base em avaliação internacional, deputado João Carlos Bacelar diz que educação não é prioridade na Bahia

João Carlos Bacelar: “O Brasil ainda está entre os piores países do mundo quando se trata de Educação.".
João Carlos Bacelar: “O Brasil ainda está entre os piores países do mundo quando se trata de Educação.".
João Carlos Bacelar: “O Brasil ainda está entre os piores países do mundo quando se trata de Educação.".
João Carlos Bacelar: “O Brasil ainda está entre os piores países do mundo quando se trata de Educação.”.

O Brasil ocupa a 58ª posição, de 65 países avaliados pelo Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), perdendo ainda quatro posições desde 2009. A avaliação é feita pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), e é aplicada a jovens de 15 anos a cada três anos. A pesquisa mede o desempenho dos estudantes em três áreas do conhecimento – leitura, matemática e ciências.

“O Brasil ainda está entre os piores países do mundo quando se trata de Educação. De 65 países pesquisados, o Brasil ocupa a 59ª posição no ensino das Ciências, ficando à frente apenas de seis países avaliados; a 58ª posição no ensino da Matemática; e a 55ª posição em Leitura. Esses resultados mostram que as elites brasileiras falharam completamente na educação do filho do trabalhador. Mostra que Educação ainda não é prioridade neste país”, lamentou João Carlos Bacelar.

Ainda segundo o deputado, a situação da Bahia ainda é mais grave: Quarto estado brasileiro em população e sexta economia entre os 27 estados da federação, a Bahia ocupa a 16ª posição no ensino da Matemática, 17ª em Leitura e 14ª em Ciências. “São números muito baixos e estamos em situação pior que estados como Piauí, Sergipe Rio Grande do Norte e Paraíba, considerados mais pobres e menos desenvolvidos que a Bahia. Esses números comprovam que as ações não acompanham o crescimento da economia e que Educação não é prioridade deste governo”, disse Bacelar.

Deputado Paulo Azi diz que CPI quer qualidade de telefonia e não caça às bruxas

” Não queremos caças às bruxas, mas dar resultados à sociedade e contribuir para a melhoria da qualidade dos serviços de telefonia”, declarou o deputado Paulo Azi (DEM) durante o debate sobre a qualidade dos serviços de telefonia móvel no estado da Bahia, realizado nesta terça-feira, 03, na Assembleia Legislativa. A mesa-redonda, promovida pela Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara Federal, foi presidida pelo deputado federal Colbert Martins e contou com representações das operadoras Vivo, Oi, Claro e TIM, da Anatel e do Ministério das Comunicações.

Presidente da CPI da Telefonia instalada recentemente na AL-Ba, Paulo Azi acredita que as discussões e a troca de informações com outras casas legislativa são fundamentais para subsidiar o trabalho do colegiado baiano. Azi lembrou que o sistema de telefonia é campeão de reclamações no país inteiro e que as CPIs que investigam as causas da má qualidade dos serviços prestados pelas operadoras vão responder aos questionamentos do consumidor e detectar as possibilidades de avanços, seja na qualidade dos serviços, seja num sistema mais justo de cobrança ou ainda se os investimentos condizem com a real dimensão do setor. ” São diversas questões que a CPI vai responder e com certeza contribuir de forma decisiva para a melhoria da qualidade dos serviços”, ressaltou.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 109750 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]