Prefeita de Uruçuca pede a permanência de professores no IF Baiano até o final de 2013

Prefeita Fernanda Silva pede a permanência dos profissionais do Instituto Federal Baiano (Ifba) até o final do ano.
Prefeita Fernanda Silva pede a permanência dos profissionais do Instituto Federal Baiano (Ifba) até o final do ano.
Prefeita Fernanda Silva pede a permanência dos profissionais do Instituto Federal Baiano (Ifba) até o final do ano.
Prefeita Fernanda Silva pede a permanência dos profissionais do Instituto Federal Baiano (Ifba) até o final do ano.

A prefeita do município de Uruçuca, no sul da Bahia, Fernanda Silva (PT), se pronunciou nesta sexta-feira (15/11/2013) pedindo a permanência dos profissionais do Instituto Federal Baiano (Ifba) até o final do ano. A proposta evitaria a transferência imediata dos funcionários do instituto para a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), órgão ao qual são vinculados. Os profissionais são funcionários da Ceplac e atuavam na Emarc, que não existe mais. O Ministério da Educação (MEC) foi quem assumiu a administração e os professores resistem à volta.

“Estive com o superintendente regional da Ceplac [Juvenal Maynart], que informou sobre o debate a respeito da relocação dos professores e do pessoal que trabalhava no apoio, que estava em andamento, entretanto, houve uma interrupção das antigas negociações e entendemos que, mesmo se tratando de uma decisão do MEC, a Ceplac poderia intervir. O que pedimos é a permanência dos professores até o final deste ano para não comprometer os estudantes no andamento dos cursos do instituto”, pontua a prefeita.

Segundo Fernanda Silva, o superintendente regional da Ceplac, Juvenal Maynart, também defende a proposta da permanência dos professores até o final do ano letivo de 2013. Em entrevista do superintendente à mídia local, ele citou a sugestão que vinha sendo negociada com a prefeita de Uruçuca e que será levada à direção geral da Ceplac.

Manifestação dos estudantes

Na última quarta-feira (13), os alunos do Ifba realizaram uma manifestação contra a transferência de professores e funcionários da antiga Emarc/Uruçuca que atuam no instituto ao quadro da Ceplac. O protesto aconteceu na frente da sede da Ceplac, na BR 415, e impediu a entrada e a saída temporária de pessoas. De acordo com informações do diretor do Ifba, Euro Oliveira, os alunos consideram a mudança arbitrária, e usam como exemplo a saída do professor Efren Ferreira, em setembro deste ano, o que deixou até hoje os alunos do curso de Agrimensura sem aulas em duas disciplinas.

Sobre Carlos Augusto 9463 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).