Denúncias de fraude no Minha Casa, Minha Vida repercutem na Câmara de Feira de Santana

O vereador Edvaldo Lima (PP) afirmou que as declarações do edil Isaías de Diogo (PPS) não agradaram os funcionários da Secretaria Municipal de Habitação. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
O vereador Edvaldo Lima (PP) afirmou que as declarações do edil Isaías de Diogo (PPS) não agradaram os funcionários da Secretaria Municipal de Habitação. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
O vereador Edvaldo Lima (PP) afirmou que as declarações do edil Isaías de Diogo (PPS) não agradaram os funcionários da Secretaria Municipal de Habitação. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
O vereador Edvaldo Lima (PP) afirmou que as declarações do edil Isaías de Diogo (PPS) não agradaram os funcionários da Secretaria Municipal de Habitação. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)

A matéria do jornal Folha do Estado, intitulada “Fraude e favorecimento no Minha Casa, Minha Vida”, publicada no último dia (12/11/2013), voltou a repercutir na Câmara Municipal. Segundo o texto jornalístico, existe em Feira de Santana um esquema de pagamento de R$ 3 mil para uma pessoa ser inclusa no referido programa habitacional. Na semana passada e na manhã desta terça-feira (19/11/2013), o assunto foi tema de discursos de vários vereadores.

O vereador Edvaldo Lima (PP) afirmou, por exemplo, que as declarações do edil Isaías de Diogo (PPS) não agradaram os funcionários da Secretaria Municipal de Habitação, que, segundo Edvaldo, querem que Isaías se retrate publicamente.

Em aparte, o vereador David Neto (PTN) teceu elogios ao trabalho dos servidores da Secretaria de Habitação e afirmou o secretário Sandro Ricardo é um homem ético. “Eu acho que esse desgaste na Habitação deve vir de gestões anteriores. Na gestão anterior, botaram um secretário lá que trabalhava em benefício de um pré-candidato a vereador”, disse.

O edil Edvaldo Lima disse que crê na lisura do secretário Sandro Ricardo e dos demais servidores da Secretaria de Habitação. “Se alguém pecou, não podemos atingir ou jogar pedra em todos os funcionários, secretário ou quem quer que seja. Nós temos que ter responsabilidade. Aquela Secretaria tem homens e mulheres de bem”, afirmou.

O vereador Isaías de Diogo declarou que entende a preocupação do edil Edvaldo Lima, até porque, segundo ele, o filho de Edvaldo é diretor da Secretaria de Habitação.

“Quando eu me referi à malandragem, à ganância que existe ou que possa existir lá dentro daquela Secretaria, eu não me referi às pessoas competentes, às pessoas daquela Casa que têm responsabilidade. A carapuça, vereador, só pega em quem é errado”, disse o edil.

Isaias fez questão de salientar que não foi ele que denunciou a existência de compra e venda de imóveis no Programa, Minha Casa, Minha Vida. Em sua opinião, estão tentando desviar o foco do problema.

“Quem pariu Mateus que balance. Se tem erro, tem que ser punido. E este vereador aqui vai cobrar, porque lugar de pilantragem, não de todos os servidores, mas de quem está fazendo, é na cadeia, porque não é justo pessoas que não têm condições de ter uma moradia, que moram debaixo de pontes e viadutos,  tenham que pagar R$ 3 mil para adquirir uma casa e a gente ficar aqui de braços cruzados”, pontuou.

Novamente com o uso da palavra, o vereador Edvaldo Lima disse que Isaías havia generalizado, mas agora mudou o discurso. “No primeiro momento que o senhor se pronunciou naquela sessão, o nobre vereador direcionou a todos; só tirou o secretário, mas agora o senhor foi coerente, colocando as palavras que deveriam ser colocadas”.

O vereador Eli Ribeiro (PRB) afirmou que o prefeito José Ronaldo e o secretário Sandro Ricardo são homens dignos de confiança. Com relação à declaração de Isaías, ele disse acreditar que o edil não quis denegrir a imagem de ninguém, mas salientou que não se pode generalizar, porque “em todas as áreas há problemas e pessoas com caráter e pessoas que não têm”.

Para o edil Pablo Roberto (PT), “o vereador Isaías de Diogo fez um posicionamento coerente no que diz respeito a ventilar  suspeitas sobre a Secretaria. Até que a investigação seja concluída, todos que trabalham naquela pasta são suspeitos, todos”, observa.

O petista disse que as denúncias de irregularidades no programa  Minha Casa, Minha Vida foram feitas com vídeo e áudio, “mas ninguém até o momento foi afastado nem exonerado. Outra coisa, quem responde pela  pasta é o secretário. Se ele não confia nas pessoas, se ele acha que as pessoas lá não têm capacidade,  que resolva junto ao seu chefe, que é o prefeito José Ronaldo”, argumentou.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 111194 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]