Ações do governo prometem transformar região Oeste no maior polo de piscicultura da Bahia

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
João Leão, Eduardo Salles e lideranças celebram investimentos.
João Leão, Eduardo Salles e lideranças celebram investimentos.
João Leão, Eduardo Salles e lideranças celebram investimentos.
João Leão, Eduardo Salles e lideranças celebram investimentos.

Dois projetos, um de Dinamização da Produção Aquícola do Oeste e outro de Revitalização da Unidade de Beneficiamento de Barreiras foram assinados durante a abertura do 1º Seminário Regional de Pesca e Aquicultura, que está sendo realizado até hoje (08/11/2013), no auditório do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA), em Barreiras. As iniciativas são fruto de parceria entre a Secretaria Estadual da Agricultura (Seagri), através da Bahia Pesca, da Codevasf e da União dos Municípios do Oeste da Bahia (Umob), e têm como objetivo construir meios para o desenvolvimento sustentável da piscicultura na região.

No Projeto de Dinamização da Produção, as instituições vão implantar 15 Unidades Modulares em Viveiros Escavados, capacitar 300 famílias, viabilizar o acesso ao crédito e prestar assistência técnica aos piscicultores. “Queremos diversificar a produção na região, introduzir proteína do peixe na dieta da alimentação escolar e população local, contribuir com a soberania alimentar e nutricional do território e servir como polo irradiador para outros municípios”, destacou o secretário estadual da Agricultura, engenheiro agrônomo Eduardo Salles.

Salles explica que o Oeste reúne todas as condições necessárias para o desenvolvimento da piscicultura, contando hoje com 140 hectares de lâmina d’ água. “Ocupa o 2º lugar na produção de pescado da Bahia, com 2.131 toneladas, das quais 1.231 toneladas são de pequenas associações. Está na 1ª posição no ranking de produção em viveiros escavados, alcançando produtividade de 3.200 kg/hectare/ano, o que representa 13% da produção baiana”, pontuou.

“Por ser uma atividade que produz alimento com alto valor agregado, de fácil aceitação nos mercados nacional e internacional ainda inexplorada, a piscicultura surge como uma atividade promissora, possibilitando um avanço extraordinário para a região”, acrescenta o presidente da Bahia Pesca, Cássio Peixoto.

O segundo projeto assinado, denominado Peixe Vivo, consiste na revitalização da Unidade de Beneficiamento de Barreiras, com o objetivo de agregar valor ao pescado produzido, gerar emprego e renda, contribuindo com o desenvolvimento da região Oeste.

Neste projeto, o produtor será preparado pelos técnicos da Bahia Pesca e do Sebrae, através da capacitação ao manejo dos peixes, beneficiamento do pescado, associativismo, cooperativismo e empreendedorismo.É importante salientar que as práticas sanitárias permeiam todos os fatores relativos à contaminação de alimentos marinhos, incluindo o meio em que esses organismos são capturados, a manipulação da matéria-prima fresca e o estado das instalações onde o pescado é armazenado e processado.

“Este é um modelo de gestão que procura transformar pequenos produtores em aquicultores empreendedores, além de permitir a inclusão social a outras políticas públicas”, informou Cássio Peixoto, salientando que as duas iniciativas vão ampliar a lâmina d’água para 1.000 hectares e criar um Centro de Referência e Produção de Alevinos, aumentando a produção anual para oito mil toneladas.

Para o prefeito de Luis Eduardo Magalhães, Humberto Santa Cruz, a pesca vai ser elemento fundamental para a geração de emprego e renda para a população do Oeste. “Quero informar que estamos com o projeto aprovado para a construção da fábrica de ração e beneficiamento de peixes. Será um investimento de 8 milhões, o primeiro projeto de muitos que ainda virão”, disse.

O diretor do Ministério da Pesca, Adamyr Moraes, que representou o ministro Marcelo Crivella, destacou os principais investimentos do governo federal para a pesca e aquicultura. “Ações do Plano Safra da Pesca, lançado pela presidente Dilma Roussef pretendem dobrar a produção de pescado até 2014, queremos atingir 2 milhões de toneladas”, disse, acrescentando que a disponibilização do crédito é o ponto de partida para que o plano tenha êxito.

Bahia Pesca no Oeste

Durante a abertura do seminário, o presidente da Bahia Pesca, Cássio Peixoto, anunciou a instalação de duas unidades do órgão, uma em Barreiras e outra para Luis Eduardo Magalhães. Segundo ele, o crescimento da atividade e as perspectivas de tornar a região maior produtora de pescado foi o que motivou o governo a ter esta iniciativa.

“Queremos dar condições para que os atuais e os novos piscicultores tenham toda assistência necessária para desenvolver a sua atividade. É o governo apoiando os trabalhadores”, disse.

O evento contou com a presença do prefeito de Barreiras, Antônio Henrique, e de diversos representantes de municípios do Oeste; do deputado federal João Leão, e do estadual Cacá Leão; do gerente do Sebrae, Emerson Cardoso; do representante da Cooperativa Mista dos Agricultores Familiares do Rio Grande, José de Jesus Santana; do superintendente da pesca na Bahia, Marcos Rocha; do vice-prefeito de Luis Eduardo Magalhães, Marcos Alecrim, e de outras autoridades locais.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113540 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]