SEI conclui relatório e aponta que Centro de Distribuição do O Boticário foi construído em terras pertencentes ao município de São Gonçalo dos Campos

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Vista aérea CD do O Boticário, em São Gonçalo dos Campos, as margens da BR 101. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Vista aérea CD do O Boticário, em São Gonçalo dos Campos, as margens da BR 101. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Vista aérea CD do O Boticário, em São Gonçalo dos Campos, as margens da BR 101. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Vista aérea do CD do O Boticário, em São Gonçalo dos Campos, as margens da BR 101. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Vista aérea CD do O Boticário, em São Gonçalo dos Campos, as margens da BR 101. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Vista aérea CD do O Boticário, em São Gonçalo dos Campos, as margens da BR 101. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Vista aérea das terras no entorno do CD do O Boticário, em São Gonçalo dos Campos. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Vista aérea das terras no entorno do CD do O Boticário, em São Gonçalo dos Campos. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)

A Superintendência de Estudos Sociais e Econômicos do Estado da Bahia (SEI) concluiu, ontem (03/10/2013), as análises sobre os limites territoriais entre São Gonçalo dos Campos e Feira de Santana. Conforme relatório produzido pelo órgão, a terra onde está sendo erguido o Centro de Destruição do Grupo O Boticário, na BR 101, pertence ao município de São Gonçalo.

A SEI também concluiu que também pertencem à São Gonçalo as localidades de São João, Boa Hora, Parque Viver, Cristóvão e Tapera, além dos terrenos onde foram edificados a fábrica da Gujão e a empresa de transportes Transoares. Enquanto as localidades de Alameda, Fraternidade 1 e 2 e Tomba, pertencem ao município de Feira de Santana.

O prefeito de São Gonçalo, Antônio Dessa Cardozo (Furão, PSD), afirmou que o resultado foi muito positivo para o município. “Com relação a instalação do CD do O Boticário, desde e o começo, realizamos um trabalho com muita seriedade e profissionalismo, com muito compromisso com o povo e com os empresários investidores. Então, sempre acreditamos que o direito do povo de São Gonçalo à terra e ao negócios seriam preservados. Também ficamos satisfeitos em determinar, definitivamente, os limites entre o nosso município e Feira de Santana. Isto é um legado que a nossa administração deixa para as futuras gerações de são-gonçalenses.”, declara.

Veja +

Confira imagens aéreas exclusivas do CD do O Boticário e das terras do entorno, produzidas pelo jornalista Carlos Augusto.

Loading Images
wpif2_loading
Vista aérea CD do O Boticário e do Frifeira, em São Gonçalo dos Campos, as margens da BR 101. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Vista aérea CD do O Boticário, em São Gonçalo dos Campos, as margens da BR 101. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Vista aérea CD do O Boticário, em São Gonçalo dos Campos, as margens da BR 101. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Vista aérea das terras no entorno do CD do O Boticário, em São Gonçalo dos Campos. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Vista aérea CD do O Boticário, em São Gonçalo dos Campos, as margens da BR 101. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Vista aérea das terras no entorno do CD do O Boticário, em São Gonçalo dos Campos. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Sobre Carlos Augusto 9665 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).