Empresários Wilson Falcão e Everton Cerqueira tentam usar o direito de recorrer a justiça para intimidar jornalista Carlos Augusto

Wilson Falcão envia mensagem para o celular do jornalista Carlos Augusto.
Wilson Falcão envia mensagem para o celular do jornalista Carlos Augusto.

Os empresários e ex-vereadores feirenses Wilson Falcão e Everton Cerqueira, utilizaram o direito de recorrer à justiça como forma de intimidar e tentar constranger publicamente o jornalista Carlos Augusto, diretor e editor do Jornal Grande Bahia.

Os empresários são sócios na venda de lotes no empreendimento Parque Lagoa do Subaé, em Feira de Santana. Uma série de matérias realizadas pelo jornalista Carlos Augusto, apontam para graves indícios de irregularidades e de crimes na implantação e venda de lotes. Os empresários resolveram acionar a justiça, mas, mesmo antes da medida se tornar ação judicial concreta, eles enviaram mensagens para várias pessoas, e divulgaram na imprensa que estavam processando o jornalista.

Ocorre no dia 11 de setembro de 2013, o empresário Wilson Falcão, em uma patética tentativa de intimidação, enviou a seguinte mensagem, através do telefone celular (071)9971-1171:

“Só quis ser atencioso com Vc como foi comigo, pelo respeito ao nosso amigo comum [o nome do amigo foi omitido para não constrangê-lo, embora Wilson tenha citado na mensagem] avisando antes, o processo foi realmente dado entrada hoje dia 11 Set 2013 a tarde “Queixa Crime” contra o Jornalista Editor Chefe Carlos Augusto.  Também, como você, pedimos que a SEMMAM mandasse verificar juntamente com o Min. Público, e uma comissão de Vereadores liderada pelo Vereador do PT Pablo, onde nos informasse onde infringimos a Lei! Abraço Wilson”.

Comunidade é informada

Membros da comunidade de Feira de Santana, notadamente do setor público, a exemplo do diretor da Câmara de Vereadores Feira de Santana, Jorge Oliveira, também receberam mensagens de Wilson Falcão informando sobre o processo. Os empresários tentam intimidar o jornalista, mas apenas conseguiram que o mesmo ampliasse a investigação sobre o loteamento e os abusos cometidos, levando a novas matérias e denúncias.

Um dossiê sobre o assunto foi elaborado e será encaminhado para o Ministério Público (MP). O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) será notificado para acompanhar o caso, porque ao telefone o empresário Wilson Falcão informou, por duas vezes, que as vendas dos lotes estavam em conformidade com os entes públicos, e que o Ministério Público tinha ciência dos fatos.

Histórico

O Loteamento Parque Lagoa do Subaé foi erguido há cerca de 30 anos. Recentemente o consórcio formado pela Moradda Empreendimentos, empresa dirigida por Everton Cerqueira; e a João Falcão Urbanizadora, dirigida por Wilson Falcão, formaram o consórcio Moradda/Falcão e retomaram as vendas de lotes.

Vista aérea do Parque Lagoa do Subaé, em Feira de Santana.
Vista aérea do Parque Lagoa do Subaé, em Feira de Santana.
Vista aérea do Parque Lagoa do Subaé, em Feira de Santana.
Vista aérea do Parque Lagoa do Subaé, em Feira de Santana.
Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9319 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).