4 de outubro. Dia de São Francisco de Assis

Comemora-se em todo o mundo, na data de hoje, o Dia deste Santo Maior da Cristandade, São Francisco de Assis.
Comemora-se em todo o mundo, na data de hoje, o Dia deste Santo Maior da Cristandade, São Francisco de Assis.
Comemora-se em todo o mundo, na data de hoje, o Dia deste Santo Maior da Cristandade, São Francisco de Assis.
Comemora-se em todo o mundo, na data de hoje, o Dia deste Santo Maior da Cristandade, São Francisco de Assis.

Em plena Kali Yuga (Era das Trevas), Francisco de Assis atendeu ao chamamento de reconstruir a Igreja de Cristo. Literalmente ele reedifica o Templo de São Damião e, obra material ainda insuficiente, Francisco inicia o seu apostolado de pastorear almas e homens, o reino mineral, vegetal e animal.

Funda uma Ordem Monástica, e os princípios que regem essa Ordem – obediência, pobreza e castidade – se tornam referência para todas que a procederam, inclusive na Índia.

Francisco é sinônimo de alegria, de festa, de cantoria em louvor a Deus. A vida penitente não fazia dele e seus companheiros homens tristes, muito pelo contrário. Extáticos viviam, na Graça do Nosso Senhor.

Francisco, bom professor, nos ensina o caminho da salvação, com a Imitação de Cristo. “Sede perfeito assim como vosso Pai é perfeito”. Ele leva às últimas consequências a Imitação do Cristo quando roga para padecer as mesmas dores que o Mestre padeceu.

Francisco de Assis é também São Francisco das Chagas. O primeiro estigmatizado da história da Cristandade. Quando recebeu as cinco chagas do Coração de Jesus a sua saúde física se deteriorou, e ele rogava: “Senhor, não peço que tires a minha dor, e sim que me dê força para suportá-la.

A sua vida é plena de prodígios e curas. Quem tem olhos para ver veja. Quem tem ouvidos para ouvir ouça. Curou doentes. Ressuscitou mortos.

Existem versões e versões da vida de Francisco de Assis. Algumas bem blasfemas, quando insinua amor erótico o afeto puro e angelical entre ele e Clara – Santa Clara.

O seu passado boêmio não o desabonava, pois Francisco sempre foi um jovem justo e generoso. Guerreiro de Assis contra Perúgia, não consegue investir contra o próximo. Resolve se tornar Guerreiro do Amor.

Há um causo que aprecio sobre a vida de Francisco. Se de fato aconteceu… não sei. Mas que é bonito é. Dizem que Francisco, no caminho da santidade, teve pensamentos impuros. Resolve se autoflagelar. Escolhe um roseiral bem espinhento para se lançar sobre ele, esperando sair todo lanhado. Quando investe contra a irmã roseira, ela se torna um lindo roseiral sem espinhos, e Francisco sai de lá cheirando a rosas.

Francisco morre cantando e renasce para a Vida Eterna.

Viva são Francisco de Assis!

Juarez Duarte Bomfim
Sobre Juarez Duarte Bomfim 740 Artigos
Baiano de Salvador, Juarez Duarte Bomfim é sociólogo e mestre em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), doutor em Geografia Humana pela Universidade de Salamanca, Espanha; e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Tem trabalhos publicados no campo da Sociologia, Ciência Política, Teoria das Organizações e Geografia Humana. Diversas outras publicações também sobre religiosidade e espiritualidade. Suas aventuras poético-literárias são divulgadas no Blog abrigado no Jornal Grande Bahia. E-mail para contato: [email protected]