Sinal da Televisão Educativa da Bahia em Feira de Santana é de péssima qualidade, denuncia deputado Carlos Geilson

Deputado Carlos Geilson, discurso equilibrado e elegante.
Deputado Carlos Geilson, discurso equilibrado e elegante.

Segunda maior cidade do estado da Bahia, Feira de Santana, sofre com a deficiência no sinal da emissora da TV Educativa. Fundada em 1985 no governo de um feirense, o atual senador João Durval, o sinal do canal estatal deixa a desejar. Em pronunciamento na Assembleia Legislativa nesta segunda-feira (16/09/2013), o deputado estadual Carlos Geilson (PTN) cobrou melhorias no sinal.

“A TVE é uma opção que você tem de TV educativa, que traz documentários, movimentos culturais, que são importantes e devemos ter conhecimento. O governo precisa reforçar o sinal na nossa região. Nem todos os feirenses podem custear uma TV paga, e nem todo mundo gosta de novela. É preciso reforçar esse sinal para termos opção de escolha do que queremos assistir”, avaliou Geilson.

O deputado ainda reclamou sobre a falta de espaço à produção de conteúdo de Feira. “Há quinze dias tive o prazer de assistir um documentário sobre a Quixabeira Lagoa da Camisa de Feira, um samba autêntico, mas isso é raro. Nossa produção se restringe muito à exibição da Micareta e do samba de roda da Quixabeira da Matinha. Para nós, isso é de suma importância divulgar nossa cultura e isso precisa ser reforçado, precisamos nos ver representados nessas produções, elas não podem ser restringir à capital”, afirmou Carlos Geilson.

Sobre Carlos Augusto 9451 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).