Deputado federal Valmir Assunção diz que há descaso com a reforma agrária

Valmir Assunção: “Os dados de 2012 nos permitem dizer que vivemos um completo descaso com as políticas necessárias para que a concentração de terras neste país caminhe para a superação. Estamos há um ano sem novos decretos de desapropriação de terras. São, sem dúvidas, os piores anos para a reforma agrária no Brasil”.
Valmir Assunção: “Os dados de 2012 nos permitem dizer que vivemos um completo descaso com as políticas necessárias para que a concentração de terras neste país caminhe para a superação. Estamos há um ano sem novos decretos de desapropriação de terras. São, sem dúvidas, os piores anos para a reforma agrária no Brasil”.
Valmir Assunção: “Os dados de 2012 nos permitem dizer que vivemos um completo descaso com as políticas necessárias para que a concentração de terras neste país caminhe para a superação. Estamos há um ano sem novos decretos de desapropriação de terras. São, sem dúvidas, os piores anos para a reforma agrária no Brasil”.
Valmir Assunção: “Os dados de 2012 nos permitem dizer que vivemos um completo descaso com as políticas necessárias para que a concentração de terras neste país caminhe para a superação. Estamos há um ano sem novos decretos de desapropriação de terras. São, sem dúvidas, os piores anos para a reforma agrária no Brasil”.

Ao comentar a ocupação da sede do Incra (Instituto Nacional de Reforma Agrária) em Salvador, iniciada na segunda-feira (09/09/2013) por cerca de 1000 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), o deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) disse que o processo de reforma agrária no País sofre um descaso por parte do governo federal. “A ocupação do Incra em Salvador tem exatamente a mesma pauta que temos denunciado aqui em tribuna: a completa paralisação da reforma agrária na Bahia e no País”, disse.

Segundo o deputado, “os dados de 2012 nos permitem dizer que vivemos um completo descaso com as políticas necessárias para que a concentração de terras neste país caminhe para a superação. Estamos há um ano sem novos decretos de desapropriação de terras. São, sem dúvidas, os piores anos para a reforma agrária no Brasil”, afirmou. Segundo informações do Incra, há 149 decretos prontos para a assinatura de desapropriação no Estado, que dependem da assinatura da presidente Dilma Rousseff.

Na Bahia, são mais de 50 mil pessoas acampadas, sendo que muitas áreas estão pendentes na Justiça, que vem travando vários processos contra a reforma agrária. No último período, nenhum novo assentamento foi criado no Estado. “Quero ainda lembrar que esses 149 decretos, que representam 149 novas áreas de assentamento na Bahia, estão incluídas, em sua maioria, dentro dos 11 territórios do Brasil sem Miséria, prioridade do nosso Governo”, concluiu o deputado.

Sobre Carlos Augusto 9462 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).