Reunião com Dilma buscou harmonizar relação entre o Executivo e o Legislativo, diz senador Walter Pinheiro

Walter Pinheiro: “Coloquei a necessidade de maior sinergia, coesão e comprometimento, por exemplo, com os ministérios, independente do partido que ocupa a Pasta”.
Walter Pinheiro: “Coloquei a necessidade de maior sinergia, coesão e comprometimento, por exemplo, com os ministérios, independente do partido que ocupa a Pasta”.
Walter Pinheiro: “Coloquei a necessidade de maior sinergia, coesão e comprometimento, por exemplo, com os ministérios, independente do partido que ocupa a Pasta”.
Walter Pinheiro: “Coloquei a necessidade de maior sinergia, coesão e comprometimento, por exemplo, com os ministérios, independente do partido que ocupa a Pasta”.

O senador Walter Pinheiro (PT/BA) participou, nesta quinta-feira (08/08/2013), de uma reunião com a presidenta Dilma Rousseff e a banca do PT no Senado. Ele destacou que a busca de um melhor fluxo de informações entre o Executivo e o Legislativo foi tema central do encontro, que durou mais de duas horas no Palácio do Planalto. “Discutimos pontos que tendem a harmonizar as tratativas entre os dois poderes, como a questão sobre o envio de MPs [Medidas Provisórias], vetos e matérias de destaque que tramitam no Congresso Nacional”, ressaltou.

Segundo Pinheiro, um dos pontos que tendem a afinar e aproximar a relação entre poderes é a interlocução com os ministérios. “Coloquei a necessidade de maior sinergia, coesão e comprometimento, por exemplo, com os ministérios, independente do partido que ocupa a Pasta”, disse.

O senador baiano disse ainda que a presidenta Dilma se lembrou do desafio de executar os projetos aprovados e que o governo tem agora a prioridade de efetivar cada proposta e garantir maior desenvolvimento e promoção cidadã.

Na tarde de hoje, em plenário, Pinheiro fez um relato sobre a reunião e respondeu aos questionamentos da imprensa, que questionou se os senadores levaram muitas reclamações à Dilma. “Nós fizemos uma reunião, inclusive, para sugerir, para ajustar – é bom ajustar de vez em quando – debater os temas da sociedade e o nosso papel, e não para transformar a reunião em um verdadeiro muro de lamentações ou para entregar um rol de reivindicações”, disse.

Sobre Carlos Augusto 9463 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).