Presidente do Democratas critica governador da Bahia e pede atenção à segurança pública

Heraldo Rocha: “A morte brutal da servidora pública Selma Barbosa é mais um caso que consterna toda a sociedade baiana. Mesmo sem oferecer resistência aos assaltantes que roubaram seu carro, ela foi friamente assassinada. Com a impunidade vigente, os criminosos não têm mais limites na Bahia”.
Heraldo Rocha: “A morte brutal da servidora pública Selma Barbosa é mais um caso que consterna toda a sociedade baiana. Mesmo sem oferecer resistência aos assaltantes que roubaram seu carro, ela foi friamente assassinada. Com a impunidade vigente, os criminosos não têm mais limites na Bahia”.
Heraldo Rocha: “A morte brutal da servidora pública Selma Barbosa é mais um caso que consterna toda a sociedade baiana. Mesmo sem oferecer resistência aos assaltantes que roubaram seu carro, ela foi friamente assassinada. Com a impunidade vigente, os criminosos não têm mais limites na Bahia”.
Heraldo Rocha: “A morte brutal da servidora pública Selma Barbosa é mais um caso que consterna toda a sociedade baiana. Mesmo sem oferecer resistência aos assaltantes que roubaram seu carro, ela foi friamente assassinada. Com a impunidade vigente, os criminosos não têm mais limites na Bahia”.

“Desça do helicóptero, Wagner, e tome pé da calamitosa situação em que se encontra a segurança pública em nossa outrora tranquila Bahia”, clama o vice-presidente estadual do Democratas, Heraldo Rocha. A banalização da criminalidade no estado indigna o ex-deputado estadual.

“A morte brutal da servidora pública Selma Barbosa é mais um caso que consterna toda a sociedade baiana. Mesmo sem oferecer resistência aos assaltantes que roubaram seu carro, ela foi friamente assassinada. Com a impunidade vigente, os criminosos não têm mais limites na Bahia”, afirma Rocha.

O dirigente democrata defende a tolerância zero com os bandidos, que estão transformando a Bahia num inferno. “É caixa eletrônico bombardeado, banco arrombado na marreta, invasão indiscriminada de residências, milhares de assassinatos mensais e o governo está comemorando estatística. Desça do helicóptero, Wagner!”.

Sobre Carlos Augusto 9528 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).