Prefeitura de Feira de Santana explica que médicos têm até um hora para chegar ao local do óbito

Paço Maria Quitéria, sede da Prefeitura de Feira de Santana. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Paço Maria Quitéria, sede da Prefeitura de Feira de Santana. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Paço Maria Quitéria, sede da Prefeitura de Feira de Santana. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Paço Maria Quitéria, sede da Prefeitura de Feira de Santana. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)

O Serviço de Verificação de Óbito (SVO), prestado gratuitamente pela Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria de Saúde, tem o papel de emitir os atestados de óbito para pessoas que sofrem morte natural. O setor é responsável por distribuir o documento para os hospitais e unidades de saúde.

Com o atendimento ao público fornecido das 8h às 18h, os médicos têm até uma hora para chegar ao local do óbito. Mortes causadas por violência ou caso externo, como acidentes ou envenenamento não poderão ter o serviço acionado.

Segundo a secretária de Saúde, Denise Mascarenhas, o SVO não pode remover o corpo do local. “Não é de nossa competência fazer a locomoção do corpo, pois não temos o veículo apropriado para transportar mortos”. Segundo ela, só o Departamento de Polícia Técnica tem o dever de realizar esse serviço.

As pessoas que necessitam do serviço podem acionar as unidades de saúde do município – policlínicas e unidades do Programa Saúde da Família (PSF) ou através do telefone (75) 3612.6619.

Sobre Carlos Augusto 9404 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).