Líder do Governo Wagner sofre severa crítica de vereador petista de Feira de Santana

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Pablo Roberto sobre Zé Neto: “Um homem que só faz política para si próprio, que tenta enganar o povo humilde de nossa terra, que usa o sofrimento e as dificuldades dos Feirenses para se eleger.”.
Pablo Roberto sobre Zé Neto: “Um homem que só faz política para si próprio, que tenta enganar o povo humilde de nossa terra, que usa o sofrimento e as dificuldades dos Feirenses para se eleger.”.

A disputa pelas eleições internas do Partido dos Trabalhadores (PED) em Feira de Santana, acrescida pela disputa por espaço político para as eleições proporcionais de 2014, entres os petistas Zé Neto (deputado estadual e líder do governo e da maioria na Assembleia Legislativa), e Ângelo Almeida (pré-candidato a deputado estadual pelo PT), tiveram um duro momento na Câmara de Vereadores. Na manhã desta segunda-feira (19/08/2013), o edil Pablo Roberto, após ter o tempo de plenário ampliado por oposicionistas ao PT, discursou longa e duramente com relação ao perfil político de Zé Neto.

Não sobraram adjetivos e reminiscências na fala do vereador Pablo Roberto (PT), que é liderado de Angelo Almeida. Na avaliação do edil, Neto age no município de forma quase ditatorial, se colocando com poderes quase onipresentes, levando o governo Wagner a um excessivo desgaste junto à população.

“Zé Neto, como todos sabem, é árvore que não dá frutos. Correm pela cidade histórias urbanas sobre sua arrogância e prepotência; sobre seu fisiologismo e instrumentalismo eleitoral. Ouvi histórias sobre seu egoísmo e individualismo”, declarou Pablo, seguindo, “O PT de Feira vem sofrendo há anos com as posturas rasteiras do deputado Zé Neto. E digo a vocês que não dá mais para ignorar esse problema, virar o rosto, fingir que não vê. Do jeito que as coisas estão indo, estamos pondo em risco nosso partido nesta cidade, bem como a construção de um projeto político local, e isso requer um olhar cuidadoso sobre este que é um problema de ordem pública”.

Vereadores omissos

Além de Pablo Roberto Gonçalves da Silva, a bancada de oposição ao prefeito José Ronaldo (DEM) possui dois outros vereadores petistas, Alberto Matos Nery e Beldes Luis Pereira Ramos. O Jornal Grande Bahia consultou os petistas se eles fariam uma defesa do deputado Zé Neto, ambos afirmaram que defenderiam o partido, e que caberia a Nery realizar o discurso.

O fato curioso é que tanto Beldes com Nery militaram por muitos anos ao lado de Zé Neto, mas, ao deixar de defender o antigo líder petista, o colocam em uma posição de isolamento dentro do partido em Feira de Santana. Será que eles estão mandando uma mensagem para o deputado? Nos bastidores da política, comenta-se que a reação dos vereadores seria em detrimento do excesso de espaço político, leia-se, cargos do governo da Bahia controlados por Zé Neto.

Zé Neto contesta

O Jornal Grande Bahia manteve contato com o deputado Zé Neto e pediu que avaliasse  o pronunciamento do vereador Pablo Roberto. Segundo Neto, ele paga um preço por ser líder do governo, e que neste momento “tem que aceitar o desgaste por conta de substituições de direção em órgãos do governo da Bahia no município.”. O deputado fez referência a demissão de um liderado do grupo de Angelo Almeida, Danilo Araújo, que ocupava a direção do CASE Zilda Arns, em Feira de Santana.

Clima tenso

O Processo de Eleições Diretas do PT pode colocar o grupo político liderado por Zé Neto em uma posição de minoria. Angelo Almeida conseguiu apoio de vários petistas, não apenas para disputar as eleições do partido, como para o processo eleitoral de 2014. Isto pode trazer sérias consequências para o deputado Zé Neto, que pela primeira vez, após anos de poder, existe a possibilidade de ser levado a compartilhar ou perder o comando do partido no município.

Neto tem recorrido ao passado para lembrar que fez parte das lutas históricas do PT, e que atua pensando em grupo e projeto político, assumido o ônus e o bônus de ser governo. Mas, algo não anda bem com a liderança do deputado. Quando vereadores do próprio partido o criticam, de forma tão dura, áspera e até mesmo descortês, é porque o clima de amenidades e partidarismo há muito tempo foi posto de lado.

Em uma demonstração de que está sentindo as pressões de correligionários e de ex-aliados, Zé Neto tem dito de forma recorrente que poderia até mesmo retornar a advocacia, deixando a vida pública. Mas, o deputado deve fazer uma reflexão sobre a forma de liderar em Feira de Santana. Poucas vezes na história da política baiana, um político deteve tanto prestígio junto a um governador. Ao mesmo tempo em que não consegue aglutinar lideranças em torno de si, no município em que tem a principal base eleitoral.

Baixe

Discurso do vereador Pablo Roberto, em 19 de agosto de 2013.

Lei +

Em Feira de Santana, vereador do PT dispara duras críticas ao deputado Zé Neto

Beldes Ramos. Silêncio em relação às críticas desferidas contra Zé Neto.
Beldes Ramos. Silêncio em relação às críticas desferidas contra Zé Neto.
Sobre Carlos Augusto 9659 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).