Em discurso na ALBA, deputado João Carlos Bacelar destaca atuação da APLB

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
João Carlos Bacelar: “Durante cinco meses discutimos a pauta de reivindicações dos professores com a APLB-Sindicato e a encaminhamos para o desfecho de uma forma a satisfazer a categoria dentro do que era possível para os cofres municipais. Com o reajuste de 7,97%, conseguimos evitar a greve para não prejudicar o filho dos trabalhadores”.
João Carlos Bacelar: “Durante cinco meses discutimos a pauta de reivindicações dos professores com a APLB-Sindicato e a encaminhamos para o desfecho de uma forma a satisfazer a categoria dentro do que era possível para os cofres municipais. Com o reajuste de 7,97%, conseguimos evitar a greve para não prejudicar o filho dos trabalhadores”.

Durante primeiro discurso na Assembléia Legislativa desde que retomou o mandato no dia 1º de agosto, o  deputado João Carlos Bacelar (PTN), ocupou a tribuna da Casa nessa segunda-feira (12/08/2013) para falar sobre a importância do diálogo na administração pública. “Durante cinco meses discutimos a pauta de reivindicações dos professores com a APLB-Sindicato  e a encaminhamos para o desfecho de uma forma a satisfazer a categoria dentro do que era possível para os cofres municipais. Com o reajuste de 7,97%, conseguimos evitar a greve para não prejudicar o filho dos trabalhadores”, disse.

Os professores do município não fazem greve há três anos. O deputado que durante dois anos e meio esteve à frente da Secretaria Municipal da Educação destacou a competência da APLB na condução do processo. “São pessoas que sabem negociar, abertas, mesmo filiadas a partidos políticos que divergem da linha de minha legenda, representam muito bem os interesses da categoria de uma forma democrática”, ressaltou.

Bacelar lembrou que em 2011 os professores tiveram em média 19,84% de reajuste; em 2012, os salários foram reajustados em 22, 22 % e com esse novo percentual, a categoria atingiu no mínimo 74% de aumento. “Salvador hoje é o segundo município que melhor paga ao professor, perdendo apenas para o Rio de Janeiro. É a valorização de uma categoria fundamental para a construção de uma Nação”. E destaca a atuação do prefeito: “ACM Neto entendeu a importância disso. Parabenizo e louvo o diálogo como grandes instrumentos da democracia”, finalizou.

Sobre Carlos Augusto 9668 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).