Deputado Carlos Geilson pede que governo da Bahia ajude Fazenda da Esperança Irmã Dulce; centro cuida de dependentes químicos em São Gonçalo dos Campos

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sede da Fazenda da Esperança Irmã Dulce fica em São Gonçalo dos Campos. Projeto surgiu da articulação da sociedade civil e busca recuperar dependentes químicos. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Sede da Fazenda da Esperança Irmã Dulce fica em São Gonçalo dos Campos. Projeto surgiu da articulação da sociedade civil e busca recuperar dependentes químicos. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Sede da Fazenda da Esperança Irmã Dulce fica em São Gonçalo dos Campos. Projeto surgiu da articulação da sociedade civil e busca recuperar dependentes químicos. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Sede da Fazenda da Esperança Irmã Dulce fica em São Gonçalo dos Campos. Projeto surgiu da articulação da sociedade civil e busca recuperar dependentes químicos. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Direção e membros da comunidade apoiam projeto social da Fazenda da Esperança Irmã Dulce.
Direção e membros da comunidade apoiam projeto social da Fazenda da Esperança Irmã Dulce.

A Fazenda da Esperança Irmã Dulce, que tem como objetivo recuperar dependentes de drogas, está necessitando de doações. A instituição, que fica no município de São Gonçalo dos Campos e completou cinco anos, no domingo (18/09/2013), sobrevive de doações esporádicas de empresas e pessoas. Em pronunciamento na Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (21/08/2013), o feirense e deputado estadual Carlos Geilson (PTN) parabenizou a arquidiocese de Feira pela iniciativa de criar um ambiente para acolher e recuperar dependentes químicos e pediu ao governo que invista na Fazenda.

“A informação que eu tenho é de que o governador Jaques Wagner e também o líder do governo, o deputado José Neto (PT), se comprometeram em apoiar e ajudar esse projeto. Quando temos conhecimentos dos gastos, muitas vezes supérfluos, por parte do governo e vemos um empreendimento social como esse passando por dificuldades, é necessário que chamemos atenção, para que o governador acelere esse processo e ajude logo a instituição”, afirmou Geilson.

De acordo com o parlamentar, embora tenha capacidade para abrigar 28 pessoas a Fazenda está hoje com 31 internos e mais uma dezena “na fila” esperando uma vaga. A instituição funciona numa área de 70 tarefas e sobrevive dos produtos fabricados no local.

“Espero que tanto o governador Jaques Wagner, quanto a população em geral, se sensibilizem para ajudar esse empreendimento. Quem tem um dependente químico em casa, ou conhece alguém que tem sabe o sofrimento que é. O governo vem falando em criar um hospital para tratamento de dependentes em Feira, eu sugiro que ao invés de gastar uma ‘fábula’, faça um investimento no que já está pronto, que é a Fazenda da Esperança”, ressaltou.

Leia +

Osvaldo Ottan assume presidência da Fazenda da Esperança e conclama sociedade a participar do projeto de recuperação de dependentes químicos

Confira imagens da Fazenda da Esperança Irmã Dulce

Loading Images
wpif2_loading
Instalações da Fazenda da Esperança Irmã Dulce, localizada em São Gonçalo dos Campos. Projeto surgiu da articulação da sociedade civil e busca recuperar dependentes químicos. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Sede da Fazenda da Esperança Irmã Dulce fica em São Gonçalo dos Campos. Projeto surgiu da articulação da sociedade civil e busca recuperar dependentes químicos. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Instalações da Fazenda da Esperança Irmã Dulce, localizada em São Gonçalo dos Campos. Projeto surgiu da articulação da sociedade civil e busca recuperar dependentes químicos. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Instalações da Fazenda da Esperança Irmã Dulce, localizada em São Gonçalo dos Campos. Projeto surgiu da articulação da sociedade civil e busca recuperar dependentes químicos. (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes (Irmã Dulce)
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (6)
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (7)
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (8)
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (9)
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (10)
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (11)
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (12)
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (13)
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (14)
Irmã Rosa e Osvado Ottan.
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (16)
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (17)
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (18)
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (19)
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (20)
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (21)
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (22)
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (23)
Direção e membros da comunidade apoiam projeto social da  Fazenda da Esperança Irmã Dulce.
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (25)
São Gonçalo - Fazenda da Esperança Irmã Dulce (26)
Sobre Carlos Augusto 9669 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).