Deputado Carlos Gaban critica: “Despreparado, o ex-secretário Carlos Martins não tinha a mínima condição de assumir a secretaria da fazenda do governo da Bahia”

Carlos Gaban: “O governador preferiu assumir o compromisso com a classe política adesista e esqueceu-se de tratar da saúde, da educação, da segurança pública”
Carlos Gaban: “O governador preferiu assumir o compromisso com a classe política adesista e esqueceu-se de tratar da saúde, da educação, da segurança pública”
Carlos Gaban: “O governador preferiu assumir o compromisso com a classe política adesista e esqueceu-se de tratar da saúde, da educação, da segurança pública”
Carlos Gaban: “O governador preferiu assumir o compromisso com a classe política adesista e esqueceu-se de tratar da saúde, da educação, da segurança pública”

Nesta segunda-feira (19/08/2013), o vice-líder da oposição na Assembleia Legislativa, deputado Carlos Gaban (DEM), voltou a apontar a “falta de cuidado e de gestão do dinheiro público” por parte do Governo do Estado. Além de criticar o aumento do número de secretarias e de cargos comissionados, Gaban destacou a falta de competência do ex-secretário da fazenda, Carlos Martins, e a conivência do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

De acordo com Gaban, dentre as causas do rombo de mais de R$ 2 bilhões nas contas do governo está o ex-secretário Carlos Martins, que chegava a “passar dados incorretos para deputados da base do governo”, além da conivência do TCE que ano após ano aprovou as contas do governo mesmo tendo graves ressalvas. “Sou contra a reprovação de contas de um governador, mas o TCE deveria ao menos ter dado uma multa para acordar o chefe do executivo”, disse o deputado.

O parlamentar também defendeu que é necessário diminuir o número de secretarias e de cargos de confiança para tentar solucionar o problema. Ele lembrou que a Bahia é o segundo estado do país com maior número de cargos de confiança que aumentou em 18,68% nos últimos anos. “O governador preferiu assumir o compromisso com a classe política adesista e esqueceu-se de tratar da saúde, da educação, da segurança pública”, condenou Gaban.

Por fim, o democrata disse que a oposição está disposta a colaborar com o governo na fiscalização das contas das secretarias, desde que o governador exija que os secretários publiquem os contratos realizados por suas respectivas secretarias, os contratantes e a validade de cada um deles.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9393 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).