Criação da zona industrial planejada de Tanquinho é discutida com a comunidade

Lideranças de Tanquinho debatem zona industrial.
Lideranças de Tanquinho debatem zona industrial.
Lideranças de Tanquinho debatem zona industrial.
Lideranças de Tanquinho debatem zona industrial.

“Já podemos sonhar com o processo industrial de Tanquinho”. Foi com essas palavras que o prefeito Jorge Flamarion (PT) abriu o encontro aberto à população tanquinhense. Na ocasião foi apresentado de forma preliminar o projeto de criação da zona industrial planejada de Tanquinho. O evento aconteceu na tarde de ontem (08-07), na plenária da Câmara de Vereadores do município e contou com a presença de representantes do CIS – Centro Industrial do Subaé –, do deputado estadual Zé Neto (PT) e vereadores locais.

Para o prefeito Flamarion o quadro de pobreza do município é alto e pode ser revertido com a chegada de indústrias a localidade onde novas oportunidades de empregos podem ser geradas para população. “Temos que transformar o sonho em realidade. É um passo que será dado para o desenvolvimento da cidade. Vamos fazer uma coisa sólida que será feita pensando no futuro”, reiterou o presidente da Câmara de Vereadores, Djalma Moraes.

Análise técnica

Para o arquiteto Roberto de Lima, que é tanquinhense, e estava representando a gerência técnica do CIS juntamente com o administrador Otacilio Ribeiro, “tem que se começar o planejamento da zona industrial aos poucos. Pensando em todos os vieses. Não se pode agir com euforia ou de forma precipitada. Qual é a especialidade econômica de Tanquinho?”, indagou.

Assim, segundo Lima as ações a serem feitas na continuidade do processo de implantação da zona industrial passam por um estudo de diagnóstico econômico junto ao SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas –, que identifique dentre outras coisas a capacidade da cidade e da região quanto à disponibilidade de matérias-primas e mão-de-obra qualificada, bem como pela criação do plano diretor do município, que deve ser seguido pela conquista das licenças ambientais, criação de infraestrutura básica (água, luz), construção de vias internas e externas que atendam às normas técnicas do DNIT – Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – e criação de cursos técnicos para qualificação da mão-de-obra local.

Zona Industrial

Após a apresentação solene na câmara de vereadores, uma comitiva formada pelos representantes do CIS, da prefeitura e da câmara realizaram visita técnica a provável área de criação da zona industrial planejada de Tanquinho.

A área visitada tem aproximadamente 500 mil m² e é cortada pela BR-324 norte, que liga o município de Tanquinho a Capim Grosso sentido Juazeiro. Está a 38 km de Feira de Santana e 18 km do recém-criado CIS norte. “A área é plana, não tem vegetação nativa ou qualquer tipo de benfeitorias. Os ventos dominantes são Sul e vão contrário ao perímetro residencial de Tanquinho”, pontuou Melo.

“Há um interesse grande do CIS em dar todo o apoio técnico às prefeituras que integram a jurisdição do centro industrial. O município de Tanquinho foi o primeiro contemplado”, afirmou Jayro Miranda, diretor geral do CIS. Ainda segundo Miranda todos os municípios da jurisdição terão acompanhamento técnico, conforme acordo feito na reunião que discutiu o processo de industrialização dos municípios que compõem a jurisdição CIS no mês de julho.

Tanquinho

No dia 14 de agosto, o município comemora 55 anos de emancipação. Segundo dados disponibilizados pelo IBGE – o município tem 8.008 habitantes, tem Índice de Desenvolvimento Humano Municipal – 2010 de 0,597 e PIB 2010 de R$ 31.259,00.

Sobre Carlos Augusto 9514 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).