Senadora Lídice da Mata protesta contra rejeição do procurador Vladimir Aras para Conselho do Ministério Público

Lídice da Mata: "Tenho recebido inúmeros e-mails da Bahia, buscando o porquê da rejeição do professor Vladimir. Além de respeitado no meio jurídico baiano, ele é também querido pela sua capacidade de liderança e agregação, além de muito respeitado pelos alunos."
Lídice da Mata: "Tenho recebido inúmeros e-mails da Bahia, buscando o porquê da rejeição do professor Vladimir. Além de respeitado no meio jurídico baiano, ele é também querido pela sua capacidade de liderança e agregação, além de muito respeitado pelos alunos."
Lídice da Mata: "Tenho recebido inúmeros e-mails da Bahia, buscando o porquê da rejeição do professor Vladimir. Além de respeitado no meio jurídico baiano, ele é também querido pela sua capacidade de liderança e agregação, além de muito respeitado pelos alunos."
Lídice da Mata: “Tenho recebido inúmeros e-mails da Bahia, buscando o porquê da rejeição do professor Vladimir. Além de respeitado no meio jurídico baiano, ele é também querido pela sua capacidade de liderança e agregação, além de muito respeitado pelos alunos.”

A senadora Lídice da Mata (PSB-BA) foi à tribuna, nesta sexta-feira (05/07/2013), para protestar contra a rejeição pelo Plenário da indicação de Vladimir Barros Aras para o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Em sua opinião, uma minoria no Senado deixou-se levar “pelo sentimento de vingança e mesquinharia” para derrotar um homem probo, que teve o nome indicado e confirmado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

– Tenho recebido inúmeros e-mails da Bahia, buscando o porquê da rejeição do professor Vladimir. Além de respeitado no meio jurídico baiano, ele é também querido pela sua capacidade de liderança e agregação, além de muito respeitado pelos alunos – afirmou Lídice.

O procurador da República recebeu 38 votos favoráveis – seriam necessários 41 para a sua aprovação – e 17 contrários. No fim do processo de votação, alguns senadores pediram que seus votos favoráveis fossem computados, mas o pedido foi negado pelo presidente Renan Calheiros (PMDB-AL), sob alegação de que o resultado já havia sido anunciado e ele não poderia colher mais votos.

Voto aberto 

Para Lídice da Mata, a Bahia está se sentindo ofendida com a posição tomada pelo Senado sem justificativa. Ela destacou que Vladimir Aras foi escolhido por quase 500 procuradores da República numa lista tríplice para concorrer ao cargo e informou que vai apresentar um recurso à Mesa da Casa para rever a decisão, visto que, no passado, o Senado já reverteu votações similares.

Na opinião da senadora, o episódio demonstra mais uma vez a necessidade da adoção do voto aberto no Parlamento brasileiro.

Em aparte, a senadora Ana Amélia (PP-RS) concordou com a colega:

– Se o voto não fosse secreto, isso não teria acontecido – afirmou. Lídice da Mata protesta contra rejeição de Vladimir Aras para Conselho do Ministério Público

Leia +

Senado rejeita indicação de um dos mais brilhantes procuradores da república e MPF emite nota

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9982 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).