Petistas discutem com a presidenta Dilma Rousseff rearticulação da base aliada

O líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (SP), demonstrou preocupação com o curto espaço de tempo para o plebiscito.
O líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (SP), demonstrou preocupação com o curto espaço de tempo para o plebiscito.
O líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (SP), demonstrou preocupação com o curto espaço de tempo para o plebiscito.
O líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (SP), demonstrou preocupação com o curto espaço de tempo para o plebiscito.

Deputados da coordenação da bancada do PT na Câmara discutiram hoje (05/07/2013) com a presidenta Dilma Rousseff a necessidade de rearticulação da base aliada. Segundo o líder do partido na Câmara, José Guimarães (CE), a “viola desafinou um pouco”, e é preciso trabalhar para afiná-la novamente. O presidente do PT, deputado estadual Rui Falcão (SP), e a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, também participaram do encontro.

“A presidenta pediu apoio para a bancada do PT para ajudar na recomposição da base, do diálogo com os partidos, com o PMDB. Vamos trabalhar para rearticular a base, pacificar a base”, disse Guimarães. Questionado se há uma quebra na base de apoio, José Guimarães negou. “A base não está quebrada. A viola desafinou um pouco, e o PT pode ajudar a afinar a viola”, respondeu o deputado.

De acordo com Guimarães, no encontro, os parlamentares manifestaram ao plebiscito sobre a reforma política, proposto pelo governo federal ao Congresso Nacional. Sobre a possibilidade de aprovação das regras do plebiscito para valer já nas próximas eleições (2014), José Guimarães disse que esta é a posição do governo. Sobre as chances de votação da proposta na Câmara a tempo de o plebiscito ser realizado para valer no pleito do próximo ano, Guimarães disse que “quando se quer, se faz”.

O líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (SP), no entanto, demonstrou preocupação com o curto espaço de tempo para o plebiscito. “O fato de o TSE [Tribunal Superior Eleitoral] ter definido 70 dias [como prazo mínimo] praticamente tira as chances. Agora, a orientação do governo é que ‘o praticamente’ não é totalmente, e vamos trabalhar para ver se dá tempo”, disse Chinaglia, ao deixar a reunião.

Segundo José Guimarães, na reunião de hoje, os parlamentares manifestaram apoio ao projeto de governo de Dilma e confiança na liderança da presidenta no processo de mudanças no país expressas nos cinco pontos do pacto proposto por ela.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9752 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).