Localizado no Centro de Abastecimento, restaurante popular de Feira de Santana continua fechado

Desde o dia 2 de janeiro de 2013, o restaurante popular que oferece diariamente refeições ao preço unitário de R$ 1,00, localizado no Centro de Abastecimento, de Feira de Santana, está fechado.
Desde o dia 2 de janeiro de 2013, o restaurante popular que oferece diariamente refeições ao preço unitário de R$ 1,00, localizado no Centro de Abastecimento, de Feira de Santana, está fechado.
Desde o dia 2 de janeiro de 2013, o restaurante popular que oferece diariamente refeições ao preço unitário de R$ 1,00, localizado no Centro de Abastecimento, de Feira de Santana, está fechado.
Desde o dia 2 de janeiro de 2013, o restaurante popular que oferece diariamente refeições ao preço unitário de R$ 1,00, localizado no Centro de Abastecimento, de Feira de Santana, está fechado.

O restaurante popular é um programa do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), criado para atender o direito fundamental do ser humano, de alimentação adequada, consagrados na Constituição Federal. A unidade de Feira inicialmente foi direcionada para atendimento de feirantes, vendedores ambulantes, carregadores de compras e famílias de baixa renda. Mas, depois da sua inauguração em 1º de abril de 2010, passou a atender também aos comerciários.

No mês de maio de 2012, foi denunciado pela imprensa que a refeição no restaurante, através do serviço terceirizado prestado pelo Grupo Lemos Passos Restaurantes Industriais, era composta apenas por ovo. O cardápio da semana na época foi o seguinte, segunda: ovo frito; terça: moqueca de ovo; quarta: ovo mexido com vinagrete; quinta-feira: ovo cozido com molho de tomate.

O Programa

Os Restaurantes Populares são equipamentos públicos de alimentação e nutrição e integram a Rede Operacional do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SISAN). Têm por objetivo ampliar a oferta de refeições adequadas a preços acessíveis à população de baixa renda. As instalações apoiadas têm capacidade mínima de produção de mil refeições diárias.

O público beneficiário dos restaurantes é formado por trabalhadores formais e informais de baixa renda, desempregados, estudantes, aposentados, moradores de rua e famílias em situação de risco de insegurança alimentar e nutricional.

Para mais informações, acesse o site do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), clicando aqui.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9375 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).