Equipamentos doados pela Codevasf reforçam produção familiar no semiárido baiano

Kits de irrigação permitem produção familiar durante a estiagem.
Kits de irrigação permitem produção familiar durante a estiagem.
Kits de irrigação permitem produção familiar durante a estiagem.
Kits de irrigação permitem produção familiar durante a estiagem.

Kits de irrigação e de apicultura doados pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) irão ajudar agricultores familiares do Médio São Francisco baiano a seguirem produzindo, mesmo em meio à estiagem. Os materiais apícolas foram entregues à Associação dos Pequenos Produtores Rurais das Comunidades de Tanque de Aurélio, Aldeia, Gongo, Gurunga e Arredores, no município de Riacho de Santana (BA), a 720 km de Salvador; já os kits de irrigação foram destinados à Associação de Desenvolvimento Comunitário do Sítio e outros (Adecosi), que reúne moradores da comunidade de Fazenda Sítio de Janoca, zona rural de Bom Jesus da Lapa.

Os kits de apicultura contemplam 160 colmeias padrão langstroth, 20 macacões apícolas, 20 pares de botas e 20 garfos desoperculadores. A ação faz parte do Programa de Desenvolvimento Regional, Territorial Sustentável e Economia Solidária, por meio do apoio aos Arranjos Produtivos Locais (APL’s), com investimento de R$ 28,5 mil.

Os kits de irrigação, por seu turno, integram as ações do Plano Brasil sem Miséria, e os recursos são oriundos da Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR), do Ministério da Integração Nacional (MI). Até o final desse ano, 250 kits de irrigação serão entregues a agricultores familiares de municípios da área de atuação da 2ª Superintendência Regional (SR) da Codevasf, que tem sede em Bom Jesus da Lapa (BA), representando um investimento de cerca de R$ 137,5 mil.

Geração de emprego e renda

“O maior benefício desta ação é conseguir uma ocupação e uma renda para as mulheres daqui, que não têm oportunidade. Antes, ganhavam dinheiro com o algodão, mas agora não tem mais plantações de algodão por aqui, então elas ficavam com muito pouca oportunidade de emprego. Isso vai causar uma mudança muito grande no local”, diz Eduvirgem Valentim, vice-presidente da Adecosi, associação beneficiada com os kits de irrigação.

Na comunidade de Fazenda Sítio de Janoca, os beneficiados planejam plantar cebola, alface, coentro, pimentão, beterraba, quiabo, abobrinha, entre outros. “Esse é um projeto de suma importância para a localidade. Estou bastante otimista em melhorar as condições de vida de todos. Esses kits vão trazer os benefícios tanto para a alimentação da comunidade, que vai ser mais saudável, livre de agrotóxicos, quanto para a geração de renda”, diz o secretário da Associação, Moisés Pereira.

“Fiquei muito feliz. Esses kits vão nos trazer muita coisa boa. Só em poder trabalhar com alegria, sabendo que teremos essa recompensa com as vendas, é uma felicidade só. Já temos até a intenção de vender nossos produtos para as escolas da região, para a merenda escolar”, afirma Maria Aparecida dos Santos, uma das moradoras beneficiadas.

Vocação regional

No caso dos kits de apicultura, Renato Lessa – analista em desenvolvimento regional da Codevasf na 2ª SR -, explica que, antes do repasse dos materiais às comunidades, a Companhia a identifica os potenciais beneficiários que estão excluídos das atividades produtivas para inseri-los de acordo com suas aptidões e a vocação regional.

Os integrantes da Associação dos Pequenos Produtores Rurais das Comunidades de Tanque de Aurélio, Aldeia, Gongo, Gurunga e Arredores são agricultores que receberam recentemente treinamento em apicultura básica promovido pela EFA (Escola Família Agrícola) de Riacho de Santana, demonstrando haver viabilidade técnica e aptidão na comunidade para o pleno exercício das atividades apícolas. “Esse trabalho possibilitará a inclusão produtiva, contribuindo para a melhoria da renda e da qualidade de vida das famílias beneficiadas”, aponta Lessa.

Sobre Carlos Augusto 9506 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).