Saiba como o relato de uma jovem manifestante representa o despreparo com o qual policiais militares comandados pelo governador Jaques Wagner agiram em Salvador

Bárbara Santiago: “Fomos hostilmente colocados de joelhos, fomos revistados, e como eu disse, nada foi encontrado conosco, só cartazes e vinagre, que acreditem se quiserem, algumas pessoas foram levadas devido ao porte de vinagre.”
Bárbara Santiago: “Fomos hostilmente colocados de joelhos, fomos revistados, e como eu disse, nada foi encontrado conosco, só cartazes e vinagre, que acreditem se quiserem, algumas pessoas foram levadas devido ao porte de vinagre.”
Bárbara Santiago: “Fomos hostilmente colocados de joelhos, fomos revistados, e como eu disse, nada foi encontrado conosco, só cartazes e vinagre, que acreditem se quiserem, algumas pessoas foram levadas devido ao porte de vinagre.”
Bárbara Santiago: “Fomos hostilmente colocados de joelhos, fomos revistados, e como eu disse, nada foi encontrado conosco, só cartazes e vinagre, que acreditem se quiserem, algumas pessoas foram levadas devido ao porte de vinagre.”
Manifestante protesta contra a situação do transporte público. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) Jornal Grande Bahia)
Manifestante protesta contra a situação do transporte público. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) Jornal Grande Bahia)
Manifestante pede por mais investimentos em educação. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) Jornal Grande Bahia)
Manifestante pede por mais investimentos em educação. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) Jornal Grande Bahia)
Marcha pacífica por direitos sociais. Manifestante protesta contra a situação do transporte público. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) Jornal Grande Bahia)
Marcha pacífica por direitos sociais. Manifestante protesta contra a situação do transporte público. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) Jornal Grande Bahia)

Ao final da tarde de ontem (22/06/2013), manifestantes se reuniram nas imediações do shopping Iguatemi, em Salvador, com objetivo de protestar. Os temas do protesto são os mesmos: saúde, educação, transporte e fim da corrupção. Mas, o que começou como uma marcha pacífica terminou com atos de vandalismo praticados pela minoria dos manifestantes. Pior, também terminou com o excesso de violência praticada pela polícia militar, que na Bahia tem o comando de um governante civil, Jaques Wagner.

Mais uma vez, o governador Jaques Wagner é severamente criticado por não agir com a dureza necessária para expurgar das forças policiais o pequeno, mas danoso número de policias militar que atentam contra os direitos humanos. Manter a ordem pública é importante, mas respeitar os direitos dos cidadãos em momentos de crise é essencial. É na crise que se percebe o quanto o estado brasileiro é despreparado, no caso, as estruturas de poder na Bahia, para agirem respeitando os cidadãos.

O Jornal Grande Bahia selecionou um dos textos postados no Facebook, na página que orientava as pessoas sobre a programação dos protestos. O Escrito pela jovem manifestante Bárbara Santiago, com o título ‘Polícia é para ladrão?!’, relata com a fidelidade de quem vive o momento histórico, a violência com a qual a Polícia Militar da Bahia agiu.

Confira a íntegra do texto

Polícia é para ladrão?! | Por Bárbara Santiago

Ontem participei da caminha entre amigos, todos em um só grito, numa só voz. Coisa linda de se ver,arrepio só em lembrar. Do campo Grande até o Iguatemi, lutando por direitos meus, seus,nossos. Na paz, sem confronto algum.

Chegando ao Iguatemi, sentamos todos na pista, cansados e no intuito de chamar a atenção para a realidade na qual estamos vivendo. Cantamos lindamente o Hino Nacional, e de um hora para a outra, (sim, de uma hora para outra) os policiais lançaram bombas de gás lacrimogêneo e outras bombas de efeito moral, repito; lançaram em pessoas sentadas, que em momento algum incitaram a violência.

Saímos correndo,é claro. Não podíamos ficar na pista, uma vez que a mesma foi tomada por um cenário de guerra, lógico. Seguimos em direção ao Capemi, até percebermos que a ação dos vândalos seguiria para o local, já que a polícia estava encurralando a todos, seria o óbvio.

Tentamos nos refugiar atrás do prédio do Bradesco, onde haviam pessoas de bem, fugindo da guerra como nós. Num repente os policiais chegaram, nos agredindo verbalmente e fisicamente. Correndo com um cacetete nas mãos atrás de pessoas que não apresentaram nenhum sinal de ameaça, e nenhuma atitude de resistência.

Fomos hostilmente colocados de joelhos, fomos revistados, e como eu disse, nada foi encontrado conosco, só cartazes e vinagre, que acreditem se quiserem, algumas pessoas foram levadas devido ao porte de vinagre. Confesso que dei risada no momento, percebendo o preparo de policiais que ainda não perceberam que as pessoas com qual estão lidando, são pessoa informadas, e que este método de intimidar acaba se tornando piada.

Deixaram sermos filmados pelo segurança do prédio,mesmo pedindo para que eles impedissem. Mas, a menina que foi espancada com golpes de cacetete nas pernas por filmar o ato agressivo dos policiais, teve que apagar o vídeo literalmente sob porrada.

Colocada no camburão, com outras 6 pessoas, informei ao policial que não daria pra fechar a porta, pois estávamos um em cima do outro, após diversas tentativas de fechar a porta nas nossas pernas, gritando que ali “daria até 15 ” não obteve êxito e com muitos xingamentos, ele retirou o meu namorado colocando-o em outra viatura.

Não nos disseram pra onde iriamos ser levados, fomos enfim para a primeira delegacia, onde por volta de três advogados que estão representando o movimento estavam nos esperando. Inclusive, quero agradecer a disponibilidade deles em nos acompanhar.

Fomos colocados no chão para que a REDE GLOBO nos filmassem, e vinculassem do jeito que eles adoram.

O representante da OAB me reconheceu e confirmou a minha versão dos fatos, inclusive concordando que o ato dos policiais foi totalmente infeliz, afinal eles agiram com repressão a pessoas sentadas,inocentes.

Pergunto, sitiados, como iriamos sair do tumulto ?

REDE GLOBO, por que você não pede as imagens externas do prédio, pra passar a violência GRATUITA exposta pelos policiais ao invés de fazer um jornalismo lixo, totalmente manipulado?!

Eu estou falando de PROVAS CONCRETAS, de IMAGENS provando que as pessoas que eles agrediram são pessoas de bem, participando pacificamente do protesto.

POLICIAIS FARDADOS, VOCÊS TAMBÉM SÃO EXPLORADOS, AS NOSSAS LUTAS TAMBÉM SÃO POR VOCÊS.

Leia+

Saiba como o relato de uma jovem manifestante representa o despreparo com o qual policiais militares comandados pelo governador Jaques Wagner agiram em Salvador

Reportagem publicada no ‘Estadão’ aponta para mobilização social, neste sábado, em Salvador

A minha experiência nas manifestações sociais em Salvador | Por Carlos Augusto

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 109691 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]