MPF instaura inquérito para apurar inundação no aeroporto de Salvador

Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães.
Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães.
A investigação parte de notícias veiculadas na mídia nacional, nesta quarta-feira (19/06/2013), que relatam danos causados pelas chuvas aos terminais de passageiros e equipamentos elétricos no Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães.
A investigação parte de notícias veiculadas na mídia nacional, nesta quarta-feira (19/06/2013), que relatam danos causados pelas chuvas aos terminais de passageiros e equipamentos elétricos no Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães.

O Ministério Público Federal (MPF) na Bahia instaurou, nesta quarta-feira, 19 de junho de 2013, inquérito civil público para investigar danos e responsabilidades relativos à inundação ocorrida no Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães, em Salvador/BA. A apuração tem como base informações veiculadas pelos jornais na mesma data. 

As notícias que deram origem ao inquérito trazem fotos e vídeos de água, oriunda das fortes chuvas ocorridas na cidade de Salvador, saindo por tomadas e monitores no aeroporto e reportam a inundação do terminal de passageiros. A situação teria prejudicado o atendimento de uma companhia aérea, tendo, inclusive, encharcado usuários do sistema de transporte aéreo. A portaria de instauração do inquérito leva em conta, ainda, “o grave risco à vida e à integridade física destes, que não foram vitimados vez que os equipamentos foram desligados”.

O caso está sob a responsabilidade do procurador da República Edson Abdon, que busca aferir as irregularidades noticiadas e a responsabilidade dos agentes públicos e empresas contratadas para a reforma e a instalação dos sistemas hidráulicos e elétricos do aeroporto.

Com a portaria, Abdon requisitou que a Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) preste informações sobre a situação; apresente os contratos firmados com empresas para manutenção e afixação dos equipamentos elétricos e hidráulicos do aeroporto; e instaure sindicância para apurar os fatos ocorridos. À Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), requisitou informações e a adoção de providências cabíveis para sanar as irregularidades noticiadas.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9397 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).