Governo do estado implanta bases móveis de videomonitoramento em Feira de Santana e outros cinco municípios

A Polícia Militar da Bahia atuará em nove bases móveis de videomonitoramento para o enfrentamento do crack em seis municípios.
A Polícia Militar da Bahia atuará em nove bases móveis de videomonitoramento para o enfrentamento do crack em seis municípios.
A Polícia Militar da Bahia atuará em nove bases móveis de videomonitoramento para o enfrentamento do crack em seis municípios.
A Polícia Militar da Bahia atuará em nove bases móveis de videomonitoramento para o enfrentamento do crack em seis municípios.

A Polícia Militar da Bahia atuará em nove bases móveis de videomonitoramento para o enfrentamento do crack em seis municípios. A ação integra o programa do governo federal ‘Crack, é possível vencer!’, com ações estruturadas nos eixos: cuidado, autoridade e prevenção. A medida foi anunciada esta semana, em reunião no auditório do Quartel dos Aflitos, com a presença do comandante de Operações Policiais, coronel Nivaldo dos Anjos, e do coordenador do Policiamento Comunitário, tenente coronel Admar Fontes.

A iniciativa alcança municípios brasileiros com mais de 200 mil habitantes. Na Bahia serão instaladas três bases em Salvador, duas em Feira de Santana e uma nas cidades de Camaçari, Itabuna, Juazeiro e Vitória da Conquista.

Para o funcionamento das bases móveis serão disponibilizadas 180 câmeras; 9 viaturas; 18 motocicletas; 450 pistolas de condutividade elétrica e 1.350 espargidores (gás de pimenta). Além disso, cada base contará com um efetivo de 40 policiais militares com ações integradas aos agentes das polícia Civil e Técnica, e profissionais da Guarda Municipal e das secretarias de Saúde do Estado e Município e Secretaria de Desenvolvimento Social.

Com o objetivo de aumentar a oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários, enfrentar o tráfico de drogas e as organizações criminosas, profissionais das diversas áreas inseridos no processo serão capacitados com os cursos: Nacional de Multiplicador de Polícia Comunitária; Redes de Atenção e Cuidados; Abordagem Policial às Pessoas em Situação de Risco. O início das aulas está previsto para o dia 1º de julho deste ano.

Sobre Carlos Augusto 9514 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).