Presidenta Dilma Rousseff exalta divergências como princípio da democracia, ao inaugurar o Mané Garrincha

Presidenta Dilma Rousseff inaugura o Estádio Nacional Mané Garrincha.
Presidenta Dilma Rousseff inaugura o Estádio Nacional Mané Garrincha.

Presidenta Dilma Rousseff inaugura o Estádio Nacional Mané Garrincha.
Presidenta Dilma Rousseff inaugura o Estádio Nacional Mané Garrincha.

A presidenta Dilma Rousseff aproveitou o discurso na inauguração do Estádio Nacional Mané Garrincha, hoje no sábado (18/05/2013), para agradecer ao Congresso a aprovação da Medida Provisória 595, a MP dos Portos. Na presença do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), e outras autoridades, a presidenta destacou que o Brasil tem demonstrado a sua capacidade de conviver com as divergências.

“A democracia não é o silêncio dos cemitérios. O silêncio dos cemitérios é para as ditaduras. A democracia é saber conviver com as divergências”, destacou Dilma Rousseff.

Ao inaugurar o quinto dos seis estádios que sediarão a Copa das Confederações, a presidenta disse que o desafio do Brasil sediar duas copas – das Confederações e a do Mundo – além das Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, mostra que o país é capaz de realizar eventos desse porte.

Presidenta Dilma Rousseff no Estádio Nacional Mané Garrincha com trabalhadores.
Presidenta Dilma Rousseff no Estádio Nacional Mané Garrincha com trabalhadores.

Ela ressaltou que a construção dos estádios gerou milhares de empregos, o que, a seu ver, é primordial ao demonstrar ao mundo que o país é capaz de gerar empregos em um momento de crise econômica por qual passam alguns países. Além de criar empregos para milhões de brasileiros das classes C, B e A, Dilma Rousseff ressaltou que os eventos dos portes da Copa das Confederações, Copa do Mundo e Olimpíadas de 2016 ajudarão a retirar brasileiros que ainda estão em situação de miséria extrema.

A presidenta também destacou que os estádios já inaugurados são exemplos claros de “construções de qualidade e modernidade com instalações simples e belas”. Dessa forma, acrescentou, os milhares de operários e empresários que participaram e ainda participam da construção dessas arenas responderam aos pessimistas de plantão que dizem que o país não é capaz de concluir as obras a tempo da realização dos eventos esportivos.

Vista interna do Estádio Nacional Mané Garrincha com torcedores.
Vista interna do Estádio Nacional Mané Garrincha com torcedores.

Dilma Rousseff chegou às 10h30 ao Estádio Nacional Mané Garrincha, acompanhada de ministros, parlamentares e dos governadores do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, e do Ceará, Cid Gomes. Ao entrar no gramado do Mané Garrincha foi saudada com a música Isto Aqui, O Que É?, de Caetano Velloso.

Cercada por quatro crianças, Dilma deu o pontapé de inauguração do estádio. Logo em seguida o campo foi tomado por operários que cercaram a presidenta para tirar fotografias e cumprimentá-la.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9607 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).