Presidenta Dilma Rousseff agradece apoio egípcio à candidatura brasileira na OMC

Os presidentes do Egito, Mouhamed Mursi e Dilma Rousseff, do Brasil, durante cerimônia de assinatura de atos e declaração à imprensa, no Palácio do Planalto.
Os presidentes do Egito, Mouhamed Mursi e Dilma Rousseff, do Brasil, durante cerimônia de assinatura de atos e declaração à imprensa, no Palácio do Planalto.

A presidenta Dilma Rousseff agradeceu ao presidente do Egito, Mouhamed Mursi, o apoio ao candidato brasileiro Roberto Azevêdo à direção-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC) e defendeu a cooperação Sul-Sul como estratégica para que se estabeleça a multipolaridade no mundo.

Dilma recebeu Mursi no Palácio do Planalto, onde foram assinados acordos de cooperação técnica e memorandos de desenvolvimento social e agrário, além de parcerias relativas a ações no meio ambiente e intercâmbio de experiência entre as bibliotecas nacionais do Brasil e de Alexandria, reconhecida pela trabalho de digitalização de acervos importantes.

“Quero reiterar o meu agradecimento pelo apoio do Egito, que muito valorizamos, ao candidato brasileiro Roberto Azevêdo, ao cargo de diretor-geral da OMC. O presidente Mursi e eu concordamos que uma cooperação Sul-Sul, entre nossos países, é estratégica para que se estabeleça a multipolaridade no mundo”, disse a presidenta em declaração à imprensa no fim do encontro no Palácio do Planalto.

A OMC confirmou hoje (08/05/2013) que o novo diretor-geral da entidade será o embaixador brasileiro Roberto Carvalho de Azevêdo, de 55 anos. Ele venceu o mexicano Herminio Blanco, de 62 anos na eleição de ontem (7). Azevêdo assume o cargo em 31 de agosto, em substituição ao francês Pascal Lamy, e cumpre mandato de quatro anos. Ele é o primeiro brasileiro e latino-americano a comandar a organização.

OMC confirma eleição de brasileiro, primeiro latino-americano no comando da entidade

A Organização Mundial do Comércio (OMC) confirmou ontem (08/05/2013) que o novo diretor-geral da entidade será o embaixador brasileiro Roberto Carvalho de Azevêdo, de 55 anos. O brasileiro venceu o mexicano Herminio Blanco, de 62 anos, na eleição de ontem (7). Azevêdo assume o cargo em 31 de agosto, em substituição ao francês Pascal Lamy, e cumpre mandato de quatro. Ele é o primeiro brasileiro e latino-americano a comandar o órgão.

Em nota, a OMC diz que os resultados das consultas feitas em todo o mundo “são claros e nada ambíguos”. Na linguagem diplomática, significa que o resultado da eleição de Azevêdo é inquestionável.

Disputada até o último minuto, a eleição envolveu uma longa negociação que ocorre desde o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ainda sem confirmação oficial, o cálculo é que Azevêdo obteve 93 dos 159 votos da OMC. O brasileiro contou com o apoio do grupo Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), além dos países de língua portuguesa e de várias nações na América Latina, na Ásia e África.

Diplomata de carreira, o embaixador desde 2008 é o representante permanente do Brasil na OMC e está diretamente envolvido em assuntos econômicos e comerciais há mais de 20 anos. Ele foi chefe do Departamento Econômico do Ministério das Relações Exteriores, Itamaraty, de 2005 a 2006, e liderou a delegação brasileira nas negociações da Rodada Doha da OMC, sobre liberalização de mercados.

Para vencer, é preciso ter um mínimo de 80 votos dos 159 países integrantes e obter o consenso entre as nações. A escolha é feita em três etapas. O processo de eleição para a OMC começou no final de março, com nove candidatos. No final de abril, a OMC comunicou que tinham passado à fase final apenas os candidatos do Brasil e do México. A presidenta Dilma Rousseff e o mexiano Enrique Peña Nieto participaram diretamente das negociações, dando telefonemas e conversando com os líderes mundiais.

O embaixador brasileiro Roberto Carvalho de Azevêdo é o representante do Brasil na Organização Mundial do Comércio (OMC) e disputa com mais oito concorrentes o cargo de diretor-geral do órgão. Ele defende a busca pela conciliação para solução de controvérsias.
O embaixador brasileiro Roberto Carvalho de Azevêdo é o representante do Brasil na Organização Mundial do Comércio (OMC) e disputa com mais oito concorrentes o cargo de diretor-geral do órgão. Ele defende a busca pela conciliação para solução de controvérsias.
O embaixador brasileiro Roberto Carvalho de Azevêdo é o representante do Brasil na Organização Mundial do Comércio (OMC) e disputa com mais oito concorrentes o cargo de diretor-geral do órgão. Ele defende a busca pela conciliação para solução de controvérsias
O embaixador brasileiro Roberto Carvalho de Azevêdo é o representante do Brasil na Organização Mundial do Comércio (OMC) e disputa com mais oito concorrentes o cargo de diretor-geral do órgão. Ele defende a busca pela conciliação para solução de controvérsias
Roberto Carvalho de Azevêdo, embaixador.
Roberto Carvalho de Azevêdo, embaixador.
Mouhamed Mursi, presidente do Egito.
Mouhamed Mursi, presidente do Egito.
Dilma Rousseff (PT), presidente da República.
Os presidentes do Egito, Mouhamed Mursi e Dilma Rousseff, do Brasil, durante cerimônia de assinatura de atos e declaração à imprensa, no Palácio do Planalto.
Os presidentes do Egito, Mouhamed Mursi e Dilma Rousseff, do Brasil, durante cerimônia de assinatura de atos e declaração à imprensa, no Palácio do Planalto.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 111021 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]