Governador da Bahia assina termo que regulariza fornecimento de milho a produtores atingidos pela seca

Governador Jaques Wagner assina termo que regulariza fornecimento de milho.
Governador Jaques Wagner assina termo que regulariza fornecimento de milho.
Governador Jaques Wagner assina termo que regulariza fornecimento de milho.
Governador Jaques Wagner assina termo que regulariza fornecimento de milho.

Como medida de combate aos efeitos causados pela estiagem, o governador Jaques Wagner e o secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Gerardo Fontelles, assinaram nesta terça-feira (21/05/2013) um termo para doação de 20 mil das 80 mil toneladas de milho anunciadas pelo governo federal para criadores familiares baianos. O evento contou também com a participação do deputado e líder do governo na Assembleia, Zé Neto (PT), e dos secretários estaduais da Casa Civil, Rui Costa, e da Agricultura, Eduardo Salles.

Os grãos serão repassados aos produtores por meio de venda subsidiada ao preço de R$ 18,12 a saca de 60 quilos, respeitando o limite máximo de seis toneladas por criador. No mercado baiano, a cotação do grão varia entre R$ 40 e R$ 50. Os recursos gerados com a comercialização serão destinados ao custeio de logística e à compra de volumosos (outros tipos de ração) para complementar a alimentação dos rebanhos.

Para Zé Neto, o governo está agindo de forma inovadora na Bahia, buscando atender àqueles que são vítimas da pior seca dos últimos 60 anos. “A vinda dos carregamentos de milho, com certeza, vai amenizar a situação de sofrimento que passam os produtores e trazer mais condição para que a recuperação dos animais se dê de forma mais rápida e a gente consiga reduzir o tempo de retomada do desenvolvimento das áreas que foram afetadas”, disse.

De acordo com o secretário estadual da Casa Civil, Rui Costa, esta doação ajudará a regularizar o fornecimento de milho no Estado. “Essa quantia se soma a 60 mil toneladas que o Estado já vendeu do ano passado para cá e ela significa um complemento alimentar importante para a sobrevivência do gado. Agora, temos em solo baiano 25 mil toneladas, somados aos 5 mil que tínhamos no estoque e a nossa expectativa é que essa quantia abasteça os criadores por pelo menos 40 dias, o que viabilizará a manutenção do abastecimento”, ressalta.

Sobre Carlos Augusto 9707 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).