Diretor do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Feira de Santana diz que existem vereadores canalhas e provoca polêmica na Câmara Municipal

José Carneiro se indigna com declaração do diretor do Sintrafs 

Na manhã desta segunda-feira (13/05/2013), durante discurso na Casa da Cidadania, o vereador José Carneiro (PSL) disse que, no último dia (08/05/2013), no programa “Notícias da Tarde”, da Rádio Subaé, escutou do diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários de Feira de Santana (Sintrafs), Antônio Carlos Araújo Lima, que a maioria dos vereadores de Feira de Santana é “canalha”. O edil criticou o comentário.

José Carneiro espera que providências sejam tomadas pela Câmara Municipal. “Os senhores vereadores têm que renunciar um por um, porque esta Casa não pode manter no seu quadro canalhas. Eu acho que todos têm que fazer uma renúncia coletiva, se providências não forem tomadas. O povo de Feira de Santana não merece ser representado por canalhas”.

Ele salientou que Antônio Carlos faz parte do sindicato, o qual vereador Alberto Nery (PT) é presidente. José Carneiro disse que não havia visto o colega se reportar sobre o assunto. “Será que o vereador Nery também tem essa concepção ou é uma posição isolada de um membro do seu sindicato?”, questionou.

De acordo com José Carneiro, faz-se necessário uma apuração do desenrolar dos fatos. “É preciso que a gente leve os fatos à imprensa, para que esta Casa não continue sendo desmoralizada, por atitudes impensadas de pessoas irresponsáveis”, disse.

Indignado, o edil acrescentou: “esse cidadão é um irresponsável; ele não é um sindicalista autêntico. Ele é despreparado para exercer a função de líder, porque ele ofende as pessoas, ofende as autoridades constituídas”, afirmou.

José Carneiro sugere que o diretor do Sintrafs se retrate publicamente e peça desculpas. “Eu quero acreditar que nesta Casa não tem canalhas, mas sim pessoas autênticas, corajosas para irem às vezes de encontro à posição até extremista de alguns indivíduos, a exemplo desse cidadão, que se diz sindicalista”, pontuou.

Alberto Nery repudia atitude de diretor do Sintrafs 

O vereador Alberto Nery (PT), em pronunciamento na tribuna da Casa da Cidadania, na manhã desta segunda-feira (13), repudiou o comentário do diretor do Sindicato dos trabalhadores em Transporte Rodoviários de Feira de Santana (Sintrafs), Antônio Carlos Araújo Lima. Este teria declarado, em entrevista a um programa de rádio, que a maioria dos vereadores é canalha. Nery é o presidente do referido Sindicato.

“Repudio a atitude dele; não aprovo atitudes como essa. Se depender da pessoa e do presidente Alberto Nery, como representante da entidade, o sindicalista irá a público pedir desculpas e dizer que ele foi mal interpretado nas suas colocações”, declarou Nery.

O edil disse que Antônio Carlos Araújo Lima tem reconhecimento, salientando que, no último pleito, o sindicalista foi procurado pelo prefeito José Ronaldo para fazer parte da sua base política.  “Ele era filiado ao PT, mas se desfiliou para caminhar com o prefeito José Ronaldo. Lima esteve em todas as caminhadas apoiando o prefeito”.

Paralisação

O petista classificou como precipitada a paralisação dos motoristas e cobradores de ônibus, na última quarta-feira (8), após o anúncio do adiamento da votação do projeto de lei que altera dispositivo da lei 2.397/2003, que organiza o serviço no transporte coletivo urbano.

O referido projeto proíbe as empresas concessionárias de serviço de transporte coletivo de Feira de Santana incumbir aos motoristas, em qualquer situação, a atribuição simultânea de condução do veículo (micro-ônibus) e cobrança de passagens.

Alberto Nery, que é autor da proposição, explicou que a implantação do micro-ônibus tinha o objetivo de fluir com maior rapidez o trajeto que é feito através de ônibus convencionais. Entretanto, o vereador disse que esses veículos começaram a circular em Feira de Santana sem a presença do cobrador.

O petista também salientou que o tempo de 30 a 40 minutos, que deveria ser feito pelos micro-ônibus, passou a ser realizado em um tempo maior do que o transporte convencional, visto que os motoristas realizam dupla função (dirigem e cobram passagem).

Ainda no tocante a manifestação dos sindicalistas, o petista afirmou que não foi o responsável pelo movimento, “como foi colocado no programa de Dilton Coutinho”.

Ronny diz que vota contrário ao projeto de Nery por conta de declaração do diretor do Sintrafs 

O vereador Reinaldo Miranda – Ronny (PSDB), em discurso proferido na tribuna a Câmara Municipal, nesta segunda-feira (13), afirmou que irá votar contrário ao projeto de lei, de autoria do edil Alberto Nery (PT), que altera dispositivo da lei 2.397/2003, que organiza o serviço no transporte coletivo urbano.

O referido projeto proíbe as empresas concessionárias de serviço de transporte coletivo de Feira de Santana incumbir aos motoristas, em qualquer situação, a atribuição simultânea de condução do veículo e cobrança de passagens.

“Vou votar contrário ao projeto do vereador Nery, porque vou me sentir um canalha se eu votar favorável à matéria”, afirmou Ronny, salientando que ficou aborrecido com a declaração de que a maioria dos vereadores é canalha.

Conforme o edil, o comentário foi do diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários de Feira de Santana (Sintrafs), Antônio Carlos Araújo Lima, durante uma entrevista ao programa “Notícias da Tarde”, da Rádio Subaé, na última quarta-feira (8).

O sindicalista teria ficado irritado porque o projeto do vereador Nery estava previsto para ser votado na semana passada e a votação ficou adiada.

Ronny observa que a Casa da Cidadania está perdendo o seu valor. “Os vereadores estão sendo desvalorizados por algumas pessoas de Feira de Santana”, disse ele, lembrando que, recentemente, os meios de comunicação repercutiram uma ameaça do empresário João Borges ao presidente do Legislativo feirense, durante uma entrevista ao radialista Silvério Silva, da Rádio Subaé.

João Borges, que é dono de um grande estacionamento, inconformado com projetos de lei, que estão em desacordo com os interesses dele, teria criticado o autor das proposições, o vereador Justiniano França (DEM), chegando ao ponto de até desafiá-lo para um duelo de morte.

“Esta Casa, através do procurador, tem que tomar uma providência contra essas pessoas que estão a cada dia que passa denegrindo a imagem do Legislativo feirense”, disse o edil, salientando que “se os vereadores não reagirem, acontecerão coisas piores neste Legislativo”, observa.

No que diz respeito ao sindicalista, o vereador declarou: “que ele respeite esta Casa, que ele procure o seu lugar, e se ele tiver coragem, que venha até esta Casa olhar no olho a olho de um vereador e chamar um homem de canalha, porque quem chama um homem de canalha pelas costas não é um verdadeiro homem”.

Em consonância com o pronunciamento de Ronny, o vereador José Carneiro (PSL) disse que, em Feira de Santana, os edis estão perdendo a autonomia de tomar posições. “Agora, quando se contraria algum segmento desta cidade, as pessoas vão em cima tentando, de alguma forma, amedrontar os vereadores”, afirmou.

Aumento da população carcerária no Presídio Regional preocupa vereador 

O vereador David Neto (PTN) elogiou a Câmara Municipal pela outorga do Título de Cidadão Feirense ao diretor do Presídio Regional de Feira de Santana, Edmundo Memeri Dumet, na última sexta-feira (10). No entanto, o edil se mostrou preocupado com a situação da população carcerária no referido Conjunto Penal.

Na sessão legislativa desta segunda-feira (13), David Neto destacou a figura do diretor da instituição.  “Edmundo é um homem de grande valor, capacitado, grande gestor, então foi merecido ter dado esse título de Cidadão Feirense ao senhor Edmundo”, afirmou.

Em seguida, o vereador apresentou dados “preocupantes” fornecidos pelo diretor do Presídio. Segundo ele, quando Edmundo chegou, em 2007, para administrar o Conjunto Penal, a população carcerária era de 500 detentos e, hoje, já conta com 1.100. A expectativa é que até 2014 o número chegue a 2 mil presos. “São informações que nos deixam temerosos quanto ao futuro da nossa cidade”, avalia.

Na concepção de David Neto, “estamos sentados em um ‘pavio de pólvora’. No dia que tiver uma rebelião em Feira de Santana, não teremos policiais suficientes”, alertou.

O vereador José Carneiro (PSL) também questionou se o Estado fornece condições suficientes para manter esse número de detentos. “Será que o Estado tem dado ao longo dos anos  estrutura para manter uma contingência de 2 mil presos em Feira de Santana?”.  Na sequência, ele salientou que “a superlotação nos presídios é uma realidade de todo o país”.

Judiciário

Também durante seu discurso, o vereador David Neto teceu críticas ao Judiciário, inclusive afirmando que será estabelecido um regime de turnão no Fórum Desembargador Filinto Bastos, “deixando a situação da Justiça no município de Feira de Santana ainda mais lenta”.

Eli Ribeiro chama atenção para a violência contra mulher 

A violência contra as mulheres foi tema de discurso do vereador Eli Ribeiro (PRB), em seu pronunciamento nesta segunda-feira (13), na tribuna da Casa da Cidadania. Ele trouxe informações do Núcleo de Estudos da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), que apontou o perfil das agredidas.

Nos últimos dois anos foram registrados 1.693 casos de violência contra a mulher, em Feira de Santana, sendo que 37% das agredidas são mulheres jovens, de 20 a 29 anos. A maioria, 98% são negras. “Isso significa dizer que, além de um problema social, é um problema também étnico racial”, afirmou.  O tipo de agressão, em sua maioria, foram espancamentos. Quanto aos agressores, 68% possuíam relação íntima atual (maridos, companheiros) e, 16%, relações passada.

“Hoje a mulher não tem mais o direito de se separar. O marido agressor, ele trai, faz o que quer e, quando a mulher toma a decisão de se separar, ele não aceita e, por conta disso, vemos os problemas que causam em todo o país”, afirmou Eli Ribeiro.

O vereador Marcos Lima (PRP) lembrou de um caso ocorrido na semana passada, no bairro Conceição I, em que uma jovem de 29 anos, Danúbia Alvim Silva Lopes, foi assassinada, onde o principal suspeito é o ex-marido Nilson Oliveira. “O que nos surpreende é que o delegado não pediu a prisão preventiva  desse cidadão”, criticou o edil.

Em sua opinião, “a Justiça tem que tomar providências. Não podemos aceitar que essas jovens continuem morrendo”, disse o vereador.

O edil Roque Pereira (PTN) acredita que o problema  está no Código Penal Brasileiro, que, segundo ele,  está defasado. “Isso acontece por causa da certeza da impunidade”, avalia.

A vereadora Cíntia Machado (PSC) disse que denunciar o agressor é a atitude mais sensata para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher. “Nós, mulheres desta Casa, devemos levantar essa bandeira”, ressaltou.

Em seu entendimento, o grande problema está no medo de denunciar. “A maioria não denuncia, exatamente por medo de acontecer alguma coisa, mas é seu medo é que faz com que as coisas desagradáveis venham a acontecer. Peço às mulheres que denunciem, porque este é o primeiro passo para que não ocorra o pior amanhã”, pontuou.

Isaías chama atenção para o combate a dengue e reivindica melhorias para os agentes de endemias 

A situação da dengue no município de Feira de Santana foi o assunto abordado no discurso do vereador Isaías de Diogo (PPS), nesta segunda-feira (13), na Câmara Municipal. As condições de trabalho dos agentes de endemias e a importância das ações desses profissionais no controle de focos de mosquitos também foram destacadas pelo edil.

Entre os benefícios solicitados por Isaías para os agentes de endemias estão um piso salarial suficiente, Plano de Cargos e Salários, além de auxílio alimentação e carga horária de seis horas.

“Espero contar com o apoio dos meus pares em prol da melhoria de condições de trabalhos para esta categoria”, pontuou o vereador. Ele lembrou ainda que todos devem estar unidos contra o mosquito Aedes aegypti. “Essa luta contra a dengue é uma luta de todos nós”, afirmou.

Diretor de Conjunto Penal recebe Título de Cidadania na Câmara 

A Câmara Municipal de Feira de Santana foi palco de momentos de muita emoção na noite de sexta-feira (10), durante a sessão solene para entrega do Título de Cidadão Feirense ao baiano de Juazeiro Edmundo Memeri Dumet, há seis anos diretor do Conjunto Penal de Feira de Santana. Cercado de familiares, amigos e companheiros de trabalho, ele recebeu a homenagem concedida por iniciativa do vereador Pablo Roberto (PT).

“Recebo esta honraria com muita satisfação e gratidão, pois sei que é o reconhecimento pela conduta sempre voltada para o bem e a moralidade”, afirmou o homenageado, ao receber o título. “A partir de hoje tenho a satisfação de dizer que tenho três cidades mãe: Juazeiro, Salvador e Feira de Santana”, disse, referindo-se ao fato de ter vivido grande parte de sua vida na capital baiana.

Conhecido pela capacidade de gerir conflitos e pela preferência do modelo de administração participativa, Edmundo Memeri assumiu o Conjunto Penal em momento crítico, quando o mesmo era considerado um “barril de pólvora.” O desafio era garantir os direitos e deveres dos servidores e, ao mesmo tempo, harmonizar a convivência respeitosa entre todos os segmentos (agentes, direção, detentos e advogados).

“Estamos tentando acertar e temos certeza que os resultados têm sido satisfatórios”, lembrou o administrador, destacando que a população em 2007 era 500 presos e hoje, 1.100. “Em pouco tempo seremos o maior presídio da Bahia”, previu. Ele dividiu o título com os agentes penitenciários e frisou: “Estamos todos numa árdua tarefa de ressocialização dos presos.”

O trabalho de Edmundo Memeri foi destacado pelo autor da homenagem, que disse admirá-lo pelas posições firmes e espírito destemido, o que reflete em um trabalho de equipe, com administração participativa e de valorização dos agentes penitenciários. “O título não é uma concessão, mas uma conquista pelos serviços prestados à cidade”, afirmou o vereador Pablo Roberto.

O advogado Marco Aurélio Andrade Gomes, que representou a subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) na sessão dirigida pelo presidente da Câmara, Justiniano França, também destacou “a forma especial de governar, tendo como foco a ressocialização” implantada pelo homenageado à frente da unidade prisional. O ato foi prestigiado por autoridades, agentes penitenciários, amigos e familiares do homenageado, dentre os quais o filho João Ricardo e a esposa Tâmara Claudia.

O presidente compôs a mesa ao lado do homenageado e sua esposa; vice-prefeito Luciano Ribeiro, representando o prefeito José Ronaldo de Carvalho; deputado federal Fernando Torres; juiz Gustavo Rubens Hungria, da Vara de Execuções Penais de Feira de Santana; advogado Marco Aurélio Andrade Gomes, representando a OAB Feira; e o procurador geral do município, Carlos Lucena. Presente à sessão ainda o deputado estadual José Neto (PT).

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108297 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]