Deputado Carlos Geilson eleva o tom da crítica e chama sindicatos que negociaram com o governo Wagner de ‘peleguistas’

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Carlos Geilson: “O que vemos é que na Bahia se instalou um verdadeiro peleguismo. É inconcebível acreditar que representantes de categorias de servidores sentem em uma mesa de negociação e possam concordar com uma proposta, que prevê um reajuste, nos seis primeiros meses do ano, menor do que a oferecido inicialmente”. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) – Jornal Grande Bahia)
Carlos Geilson: “O que vemos é que na Bahia se instalou um verdadeiro peleguismo. É inconcebível acreditar que representantes de categorias de servidores sentem em uma mesa de negociação e possam concordar com uma proposta, que prevê um reajuste, nos seis primeiros meses do ano, menor do que a oferecido inicialmente”. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) – Jornal Grande Bahia)
Carlos Geilson: “O que vemos é que na Bahia se instalou um verdadeiro peleguismo. É inconcebível acreditar que representantes de categorias de servidores sentem em uma mesa de negociação e possam concordar com uma proposta, que prevê um reajuste, nos seis primeiros meses do ano, menor do que a oferecido inicialmente”. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) – Jornal Grande Bahia)
Carlos Geilson: “O que vemos é que na Bahia se instalou um verdadeiro peleguismo. É inconcebível acreditar que representantes de categorias de servidores sentem em uma mesa de negociação e possam concordar com uma proposta, que prevê um reajuste, nos seis primeiros meses do ano, menor do que a oferecido inicialmente”. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) – Jornal Grande Bahia)

O acordo entre o Governo Estadual e os sindicatos representantes dos servidores públicos, que prevê um índice de reajuste de 2%, retroativo a 1º de janeiro (inicialmente o governador tinha proposto 2,5%), foi criticado pelo deputado estadual Carlos Geilson (PTN) na Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (06/05/2013).

Na mesa de negociação, eles ainda acordaram outro reajuste de 3,84% a partir de 1º julho, totalizando 5,84% (índice oficial da inflação de 2012, medido pelo IPCA), no entanto nesse período os servidores já terão novas perdas acumuladas em razão da inflação dos seis primeiros meses do ano.

O Instituto dos Auditores Fiscais do Estado da Bahia – IAF considerou decepcionante o acordo celebrado entre o governador Jaques Wagner e 18 dos 19 sindicatos ligados ao PT e PcdoB, que participaram da negociação, da qual o IAF não fez parte. “O que vemos é que na Bahia se instalou um verdadeiro peleguismo. É inconcebível acreditar que representantes de categorias de servidores sentem em uma mesa de negociação e possam concordar com uma proposta, que prevê um reajuste, nos seis primeiros meses do ano, menor do que a oferecido inicialmente”, afirmou.

Para Geilson, o governo sempre teve dinheiro, mas tentou semana passada empurrar “guela abaixo” em regime de urgência um aumento pífio de 2,5%. “O governo fala em perdas, mas como bem lembrou o auditor fiscal Augusto Ferrari, o Balanço de 2012 do próprio governo mostrou um superávit de mais de 1,6 bilhão. Então, porque tanto chororô, tanta engabelação na hora de reajustar os salários dos servidores?”, questionou o parlamentar.

O deputado Carlos Geilson afirmou que irá conversar com a bancada de oposição para saber qual será a postura em relação à votação. No entanto, adiantou, dizendo que mesmo percebendo a insatisfação dos servidores nas ruas, se os representantes das classes aceitaram a proposta, ele deverá votar a favor, se esse for o entendimento da bancada.

Saiba +

*Peleguista vem de pelego, sendo um adjetivo depreciativo atribuído a sindicalista ao serviço do patronato ou do governo.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113508 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]