CCJ aprova indicação de Vladimir Aras ao Conselho Nacional do Ministério Público

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Vladimir Aras é indicado para o Conselho Nacional do Ministério Público.
Vladimir Aras é indicado para o Conselho Nacional do Ministério Público.
Vladimir Aras é indicado para o Conselho Nacional do Ministério Público.
Vladimir Aras é indicado para o Conselho Nacional do Ministério Público.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal aprovou nesta quarta-feira (29/05/2013), depois de sabatina, o nome do procurador da República Vladimir Aras para compor o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Aras foi indicado ao cargo pelo Ministério Público Federal após eleição no dia 13 de março, com participação de 685 membros.

No início da sessão, o procurador da República falou sobre sua trajetória profissional no Ministério Público da Bahia e no Ministério Público Federal. Ele ingressou na instituição com apenas 22 anos de idade e atua há duas décadas como membro do MP. “Chegou a hora de buscar novas perspectivas, por isso pleitei, junto aos meus colegas, a indicação ao CNMP”, afirmou.

Vladimir Aras afirmou que o Conselho Nacional do Ministério Público é uma instituição extremamente relevante. “O CNMP é muito importante para o desempenho das atividades do Ministério Público, tendo em vista que, como toda instituição humana, o Ministério Público também comete equívocos. Por isso é essencial que tenhamos também um órgão de controle externo. Esse é o papel fundamental do CNMP.”

O procurador também falou sobre a importância do diálogo entre o Ministério Público e o Congresso Nacional e afirmou que, se tiver o seu nome aprovado, pretende, como conselheiro, favorecer a interlocução entre as instituições.

Aras defendeu ainda a aprovação do código de ética do MP, que vai trazer mais responsabilidade para atuação profissional dos promotores e procuradores em todo o país. “Há uma evidente necessidade de nós regularmos isso no CNMP. Sei que há uma proposta já em curso de autoria do conselheiro Adilson Gurgel e imagino que essa proposta possa ser aperfeiçoada, para que nós tenhamos um padrão de conduta universal”, defendeu.

Ao finalizar, o procurador afirmou aos senadores que tem muita “vontade de acertar”. “E foi essa vontade, que me guiou durante toda a carreira, que me levou a pleitear a ida ao CNMP”, concluiu.

Vladimir Aras foi aprovado por dezesseis votos a dois. A indicação segue agora para o Plenário da Casa, onde tramita em regime de urgência. Depois de aprovado pelo Senado, o novo conselheiro deve ser nomeado pela presidente Dilma Roussef.

*Com informações do CNMP.

Sobre Carlos Augusto 9652 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).