Bispo emérito de Feira de Santana Dom Silvério de Albuquerque faleceu nesta madrugada

Dom Silvério de Albuquerque morre aos 96 anos.
Dom Silvério de Albuquerque morre aos 96 anos.
Dom Silvério de Albuquerque morre aos 96 anos.
Dom Silvério de Albuquerque morre aos 96 anos.

O dia em Feira de Santana começou com uma triste notícia: a morte de Dom Silvério Jarbas de Albuquerque, aos 96 anos. O Bispo Emérito de Feira de Santana estava internado no Hospital Unimed e teve falência múltipla dos órgãos, na madrugada desta terça-feira (28/05/2013). O corpo está sendo velado na Paróquia da Catedral Metropolitana de Sant’Ana, onde será o sepultado às 15h.

No programa Jornal Transamérica desta manhã, o deputado estadual Carlos Geilson (PTN) lamentou a perda para Feira de Santana e destacou a atuação religiosa do Dom Silvério.  “Ele foi uma pessoa com histórico de dedicação à igreja e à sociedade feirense. Alguém que sempre procurou somar”, frisou.

Vida – Nascido em Olinda, em 11 de março de 1917, Dom Silvério foi nomeado Bispo em 17 de março de 1970, no município de Caetité. Posteriormente, foi transferido para a Arquidiocese de Feira de Santana, onde permaneceu por 23 anos. Em 22 de fevereiro de 1995, ele renunciou ao múnus episcopal, por limite de idade (em conformidade com o cânon 401 do Código de Direito Canônico).

Carlos Geilson e Dom Silvério de Albuquerque
Carlos Geilson e Dom Silvério de Albuquerque

Entre suas ações destacam-se: construção da Secretaria do Bispado, aquisição do Terreno e Projeto Arquitetônico para as futuras instalações do Seminário Diocesano em Feira de Santana, criação do Seminário Santana Mestra, em Salvador, e doação do terreno para a construção da Obra Social Dispensário Santana.

Também, a criação de sete novas paróquias, assistência a cinco paróquias sem padres residentes (Ouriçangas, Conceição do Jacuípe, Amélia Rodrigues, Tanquinho e Senhor dos Passos), ordenação de 34 sacerdotes, sete diáconos permanentes e acolhimento de 15 diferentes congregações religiosas.

Sobre Carlos Augusto 9462 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).