Bancada de oposição se faz presente em sessão esvaziada na Câmara de Vereadores de Salvador

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Vereadores da oposição trabalham enquanto base de ACM Neto se ausenta.
Vereadores da oposição trabalham enquanto base de ACM Neto se ausenta.
Vereadores da oposição trabalham enquanto base de ACM Neto se ausenta.
Vereadores da oposição trabalham enquanto base de ACM Neto se ausenta.

Mesmo com a presença de todos os vereadores da bancada de oposição, formada pelo PT, PSB e PC do B, além do PSOL, no plenário Cosme de Farias na Câmara Municipal de Salvador, na tarde desta quarta-feira (29/05/2013), a falta de quórum foi o motivo para que não houvesse nenhum tipo de discussão no plenário. Hoje seria debatido novamente o projeto de Reforma Tributária encaminhado pela prefeitura do município, que teve ontem a sua votação adiada, porém, a bancada do governo não compareceu.

De acordo com o vereador e líder da oposição Gilmar Santiago (PT), o projeto de Reforma Tributária precisa ser discutido amplamente, tanto no legislativo e executivo quanto com a sociedade soteropolitana em geral, entretanto, isso não vem acontecendo. Para o parlamentar, “a base do governo tem se preocupado mais em aprovar o projeto de qualquer forma do que em discutir com a sociedade a matéria.”

A oposição tem se manifestado há mais de dois meses sobre a necessidade do debate sobre o caráter da reforma, assim como sobre seus pontos específicos, como a questão do impedimento de compensação de ativos tributários pela prefeitura. Ainda para o petista, a política de compensação de ISS das instituições de ensino, que permite que os servidores tenham direito a bolsas de estudo em escolas e universidades, é uma conquista dos trabalhadores do município que não pode ser retrocedida.

“Há muitos anos os servidores possuem direito a bolsas de estudo e o artigo do projeto encaminhado por ACM Neto (DEM) acaba com esse benefício dos trabalhadores do município. É um absurdo colocar um ponto como esse, ainda mais nesse momento, que a categoria encontra-se mobilizada, em campanha salarial, lutando pela alteração do regime de plano de saúde e a prefeitura não apresentou nenhuma proposta de conciliação”, afirmou.

Sobre Carlos Augusto 9657 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).