Ameaçado pelo empresário João Borges em um duelo de morte, presidente da Câmara de Feira de Santana diz que a arma que usa é a bíblia

Justiniano Oliveira França afirmou que não se sente intimidado com as ameaças de João Borges. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) – Jornal Grande Bahia)
Justiniano Oliveira França afirmou que não se sente intimidado com as ameaças de João Borges. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) – Jornal Grande Bahia)
Justiniano Oliveira França afirmou que não se sente intimidado com as ameaças de João Borges. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) – Jornal Grande Bahia)
Justiniano Oliveira França afirmou que não se sente intimidado com as ameaças de João Borges. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) – Jornal Grande Bahia)

Presidente diz que a única “arma” que tem na casa dele é a Bíblia 

Em pronunciamento na tribuna da Câmara Municipal, na manhã desta segunda-feira (06/05/2013), o presidente do Legislativo feirense, Justiniano França, respondeu as declarações do empresário João Borges, proferidas em uma entrevista ao radialista Silvério Silva, da Rádio Subaé AM, no último domingo.

Segundo informações divulgadas em um site, o referido empresário teria ficado insatisfeito com projetos de lei, de autoria do vereador Justiniano França e, por conta disso, criticou o presidente da Câmara ao ponto de até desafiá-lo para um duelo de morte.

O presidente da Câmara disse que respeita o estado que se encontra João Borges – ele está na cidade de São Paulo se tratando de um câncer na garganta.   Em relação ao desafio proposto pelo empresário.  Justiniano afirmou que a única arma que tem na residência dele é a Bíblia. “Ando com ela quando vou ao culto, ou em algum momento quando preciso usá-la. Se ele quiser debater comigo algo que esteja na Bíblia, irá achar alguém para duelar”.

Justiniano afirmou que é um homem de paz e, na oportunidade mencionou um trecho da Bíblia, que diz: “honra o teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra”. A partir desta citação bíblica, ele salientou que apenas Deus sabe o dia e a hora em que o homem morre.

O edil disse que já solicitou o áudio da referida entrevista, e afirmou que não se sente intimidado com as ameaças de João Borges. Garantiu também que continuará servindo a Deus.  “Se eu não tenho a proteção dos homens, eu terei, exatamente, a proteção de Deus”.

Em seguida, o presidente agradeceu a todos os vereadores que lhe prestaram solidariedade. “Quero dizer também que, a partir de agora, talvez, nós não possamos mais colocar leis, porque seremos ameaçados”, pontuou.

Os projetos

O presidente garantiu que não irá retirar de pauta os seus projetos de lei, que versam sobre estacionamentos. Um deles dispõe sobre compensação financeira nos estacionamentos do município de Feira de Santana, institui o Vale Estacionamento e fixa outras providências.

Ele disse que o referido projeto não concede gratuidade aos usuários e não questiona se os estacionamentos de Feira de Santana são ou não são ilegais, ou se geram ou não empregos.

Segundo o vereador, o que se questiona é o tempo pago e o tempo efetivamente utilizado pelo veículo. “Se eu fiquei no estacionamento 40 minutos, mas paguei por uma hora, que eu tenha um crédito de 20 minutos, para que possa utilizá-lo depois. Onde é que está o meu pecado em relação a isso?”, indagou.

O outro projeto, que também está em tramitação, dispõe sobre a oferta e cobrança de vagas nos estacionamentos públicos e privados para estacionamentos de bicicletas no município.

O presidente do Legislativo feirense salientou que leis semelhantes já foram sancionadas em outros municípios. Disse ainda que recebeu ligações de alguns vereadores de outras localidades, que queriam saber das propostas para implementar em suas cidades.

“Se os colegas vereadores entenderem que devem aprovar estes projetos de lei, nós vamos lutar para que eles sejam sancionados e para que venham a vigorar em nossa cidade”, afirmou.

José Carneiro repudia ameaça de empresário feita ao presidente da Câmara 

“Eu quero chamar a atenção dos senhores vereadores que não façam, por favor, projetos que venham desagradar empresários de Feira, porque os senhores podem tomar um tiro”. O alerta é do vereador José Carneiro, em discurso na tribuna da Câmara, nesta segunda-feira (06).

O vereador fez referência ao empresário João Borges, que, segundo ele, teria desafiado para um duelo de morte o presidente do Legislativo feirense, Justiniano França, durante uma entrevista ao programa Silvério Silva, da Rádio Subáe, no último domingo.

Conforme José Carneiro, o referido empresário é dono do maior estacionamento de Feira de Santana. Relatou que João Borges teria ficado irritado porque dois projetos, de autoria do edil Justiniano, referentes a estacionamentos estão tramitando na Câmara.

Um dispõe sobre compensação financeira nos estacionamentos do município de Feira de Santana, institui o Vale Estacionamento e fixa outras providências. E o outro sobre vagas para bicicletas em estacionamentos da cidade. Ambos já foram aprovados em 1ª discussão, na semana passada.

Em seu pronunciamento, José Carneiro destacou trechos de uma matéria do site rotadainformação.com.br, intitulada “João Borges chama Justiniano de traidor e o desafia em duelo de morte”.

Segundo o texto jornalístico, “o empresário João Borges, que está em São Paulo se tratando de um câncer na garganta, fez graves denúncias contra o presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana e envolveu o prefeito José Ronaldo de Carvalho”.

A matéria traz na íntegra a fala do empresário, na referida entrevista.  “Agora se a pessoa tem raiva de mim, eu convido ele, daqui uns dias vou estar aí, eu vou me curar, aí a gente marca um duelo, ele fica em uma esquina e eu em outra, cada um com uma arma, então se ele me matar, ele satisfez o ego dele, e se ele for embora é problema dele, também ficamos livres dele”.

Cita também a parte que João Borges envolve o chefe do Executivo municipal. “O prefeito José Ronaldo já me disse que o projeto é inconstitucional e que eu fizesse uma intervenção judicial”.

Após a leitura da matéria, José Carneiro declarou: “um homem que ameaça o presidente desta Casa a ficar numa esquina com uma arma e ele com outra, dizendo que vai matar o vereador apenas por este ter apresentado um projeto de lei que contraria a forma dele (João Borges) arrecadar recursos e enriquecer sem pagar impostos, tem uma atitude de marginal”.

Para o edil, “isso é ridículo, quando parte de um comerciante conhecido e bem sucedido, diga-se de passagem, que é João Borges. Vergonhoso sob todos os aspectos. Esta Casa não pode ficar omissa; tem que levantar a voz em defesa da sua soberania, da sua legitimidade”, pontuou.

“João Borges quer trocar tiros com o presidente da Câmara”, critica vereador 

A declaração do empresário João Borges durante uma entrevista ao radialista Silvério Silva, da Rádio Subaé AM, exibida no último domingo, foi tema de discurso do vereador Marcos Lima, na sessão legislativa desta segunda-feira (06).  Contrariado com dois projetos que dispõem sobre estacionamentos, em tramitação na Câmara, o empresário chegou ao ponto de chamar para um duelo de morte o autor das preposições, o presidente da Casa da Cidadania, Justiniano França.

“Nós ouvimos um empresário conhecido de Feira de Santana, que está doente, se tratando de um câncer, chamar o presidente da Câmara de Vereadores para trocarem tiros. Virou bang-bang! Isso é uma vergonha. Uma pessoa, que já disputou cargos eletivos nesta cidade, ir para um meio de comunicação procurar contenda com esta Casa”, disse o edil, repudiando a atitude de João Borges.

O vereador Eli Ribeiro classificou o procedimento do empresário como uma falta de respeito com a Câmara Municipal de Feira de Santana. “Como é que  ele ameaça o presidente desta Casa e nós vereadores, cidadãos de bem, vamos ficar calados. Isso não pode”, declarou o edil, também indignado com a declaração de João Borges.

O vereador José Carneiro disse que o referido empresário é tão “irresponsável” que também envolveu o prefeito José Ronaldo. “Ele relatou que o prefeito teria dito a ele que o projeto de lei, que está tramitando nesta Casa, é inconstitucional. Pelo que conheço o prefeito José Ronaldo, eu desafio João Borges a mostrar provas para afirmar que o chefe do Executivo teria dito isso a ele”.

O vereador fez questão de salientar que “o prefeito José Ronaldo não tem o perfil de fazer um tipo de coisa dessa, principalmente quando se trata de questões referentes ao Legislativo”, afirmou ele, ressaltando que o gestor da cidade tem boa índole e respeito pela Casa da Cidadania.

“A Câmara precisa adotar providências contra o empresário João Borges”, diz Pablo 

Uma declaração do empresário João Borges durante uma entrevista ao radialista Silvério Silva, da Rádio Subaé AM, exibida no último domingo, repercutiu negativamente na sessão legislativa, desta segunda-feira (06). O empresário, que é dono de um grande estacionamento, inconformado com projetos de lei, que estão em desacordo com os interesses dele, teria criticado o autor das proposições, o presidente da Câmara, Justiniano França, chegando ao ponto de até desafiá-lo para um duelo de morte.

“Eu quero ser solidário a esta Casa, ser solidário também ao presidente Justiniano, que foi brutalmente ameaçado por um empresário desta cidade”. A declaração foi do vereador Pablo Roberto, que ficou perplexo com o fato.

Ele salientou que o empresário João Borges ameaçou publicamente, não apenas o presidente da Casa da Cidadania, mas o Poder Legislativo de Feira de Santana. “Ele ameaça, inclusive fazer um duelo. Parece que nós voltamos à época do bang-bang, onde as pessoas iam para as ruas, cada qual com uma arma em punho  fazer justiça com as próprias mãos”, observa.

O petista pediu ao presidente da Câmara que consulte a Procuradoria Jurídica do Legislativo para saber quais os procedimentos podem ser adotados com relação à ameaça do empresário João Borges.

Em sua opinião, a Câmara precisa tomar providências com relação ao comportamento agressivo de empresários que não estão em consonância com projetos de interesses da coletividade. “Ou retira o projeto, ou toma tiro. Isso é um afronta à democracia. Esta Casa não pode permitir, de forma nenhuma, que isso aconteça”, disse o vereador.

Pablo afirmou que são de interesse público os projetos de lei, de autoria do vereador Justiniano, que versam sobre o funcionamento de estacionamentos na cidade de Feira de Santana. “Em meu entendimento os estacionamentos não vêm contribuindo como deveriam contribuir para o crescimento da nossa cidade, inclusive no que tange a geração de empregos e pagamentos de impostos”, disse Pablo.

Em seguida, o petista informou que, na referida entrevista, João Borges afirma que o prefeito José Ronaldo havia lhe dito que o projeto de Justiniano é inconstitucional e que cabia uma intervenção judicial. “Eu não quero acreditar que o prefeito se prestou um papel desse”, pontuou.

“Não é a primeira vez que empresários desrespeitam a Câmara”, afirma Isaías

Em discurso na tribuna da Casa Legislativa, nesta segunda-feira (06), o edil Isaías de Diogo se mostrou indignado com a declaração do empresário João Borges durante uma entrevista ao programa Silvério Silva, da Rádio Subaé AM, exibida no último domingo.  Borges teria desafiado para um duelo de morte o presidente da Câmara por causa dos projetos de lei, de autoria do vereador Justiniano França, que versam sobre o funcionamento de estacionamentos na cidade de Feira de Santana.

Isaías lembrou que não é a primeira vez nesta Legislatura que empresários desrespeitam a Casa da Cidadania. Segundo ele, recentemente, o presidente da Associação de Blocos Micaretescos de Feira de Santana disse que não tem validade a lei municipal, de autoria do vereador Reinaldo Miranda – Ronny, que dispõe sobre a obrigatoriedade de os blocos destinarem luvas, botas, lanches, água mineral e protetor auricular para os cordeiros na Micareta.

A referida lei diz ainda que a quantidade de seguranças e cordeiros a serem contratados pelos blocos tem que ser proporcional ao número de foliões: “a cada 10 foliões contrata-se um cordeiro e um segurança”.

 Para Isaías de Diogo, se as determinações não forem cumpridas, não vale a pena criar leis em Feira de Santana.  “Eu quero dizer o seguinte: para ser vereador, se for desse jeito, fica complicado”.

No tocante a ameaça do empresário João Borges, ele solicitou a Comissão de Direitos Humanos da Câmara que apure o caso para tomar as providências cabíveis e, aproveitou o ensejo, para pedir proteção policial para todos os vereadores do Legislativo feirense, que defendem  os interesses maiores da coletividade e o desenvolvimento do município.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 112875 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]