Governo do Estado inaugura Centro de Educação a Distância, em Juazeiro

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Governo da Bahia inaugura o Centro Regional de Ensino Médio com Intermediação Tecnológica do Sertão do São Francisco (CEMIT – Sertão do São Francisco), em Juazeiro.
Governo da Bahia inaugura o Centro Regional de Ensino Médio com Intermediação Tecnológica do Sertão do São Francisco (CEMIT – Sertão do São Francisco), em Juazeiro.
Governo da Bahia inaugura o Centro Regional de Ensino Médio com Intermediação Tecnológica do Sertão do São Francisco (CEMIT – Sertão do São Francisco), em Juazeiro.
Governo da Bahia inaugura o Centro Regional de Ensino Médio com Intermediação Tecnológica do Sertão do São Francisco (CEMIT – Sertão do São Francisco), em Juazeiro.

O Secretário da Educação do Estado da Bahia, Osvaldo Barreto, inaugura nesta quinta-feira (04/04/2013), o Centro Regional de Ensino Médio com Intermediação Tecnológica do Sertão do São Francisco (CEMIT – Sertão do São Francisco), em Juazeiro. O CEMIT, que funcionará como uma unidade escolar especial, tem como finalidade promover o programa Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (EMITec) – criado para expandir o ensino e potencializar os espaços escolares já existentes, principalmente para os residentes em zonas remotas do Estado.

Esse é o primeiro dos 15 CEMIT que serão inaugurados ainda este ano, conforme Letícia Machado, coordenadora executiva do EMITec. “O Centro vai funcionar como uma escola de grande porte e será responsável por toda a vida curricular do estudante do ensino médio da rede estadual que tem vínculo com o EMITec, bem como atenderá aos diretores de escolas anexas atuantes no programa e os mediadores do programa”, explica.

O CEMIT – Sertão do São Francisco vai funcionar nos três turnos, de segunda a sexta-feira e, aos sábados, quando houver atividade letiva no calendário, junto às escolas que atuam no EMITec. Além de fortalecer as ações educacionais desenvolvidas com metodologia integrada de tecnologias para o acesso dos estudantes do ensino médio, o Centro tem como objetivos realizar a gestão administrativa, financeira e técnica da execução do EMITec na sua respectiva área de abrangência.

A merendeira Nacleia Pereira, 40 anos, estudante do EMITec até o ano passado, quando concluiu o 3º ano (ensino médio), diz ser uma fã do programa: “É um curso excelente, incentivo todo mundo a fazê-lo. Os professores são bem preparados, compreensivos, pacientes. Agora, pretendo fazer o Enem para entrar na faculdade de Pedagogia”, conta ela, que mora na localidade Banco da Vitória, em Ilhéus.

A agente de saúde da localidade de Pimenteira, no município de Ilhéus, Ivonete Neves de Araújo, também é uma entusiasta do EMITec. No ano passado, ela também concluiu o 3º ano e os planos é prestar vestibular para o curso de Serviço Social.

EMITec – O Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (EMITec), uma iniciativa do Governo do Estado, desenvolvido pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia visa potencializar os espaços presenciais já existentes em localidades distantes do interior baiano a partir de uma linguagem digital. Pioneiro na região Nordeste, premiado em Congresso Internacional de Educação a Distância, como inovação tecnológica, o EMITec atende, atualmente, a 14.649 estudantes. As aulas acontecem em salas espalhadas em 375 localidades da zona rural do Estado. As aulas são ao vivo, transmitidas, via satélite, em tempo real, com professores mediadores em cada sala. Em 2013, a meta é atender a 17.578 estudantes em 617salas conectadas em 146 municípios.

Como alternativa pedagógica com uso da intermediação tecnológica por meio do software I.P.T.V (Internet Protocol Television), o EMITec atende a três desafiantes vertentes ligadas à educação na Bahia: a extensão territorial do Estado, constituído por 417 municípios; a carência de docentes habilitados em diferentes componentes curriculares e a  necessidade de articular o que acontece no mundo com os acontecimentos regionais e locais.

“Esta ex­tensão ter­ri­to­rial do Es­tado, a ca­rência de profissionais ha­bi­li­tados em di­fe­rentes com­po­nentes cur­ri­cu­lares do ensino médio, so­bre­tudo em lo­ca­li­dades lon­gín­quas são os grandes de­sa­fios que terão, na edu­cação com in­ter­me­di­ação tec­no­ló­gica, um meio au­xi­liar de in­dis­cu­tível efi­cácia e promotora de desenvolvimento humano com qualidade de vida”, ressaltou Letícia Machado.

Sobre Carlos Augusto 9656 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).