COELBA investe R$ 1 milhão na Operação Micareta de Feira de Santana 2013

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
A Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia é a terceira maior distribuidora de energia elétrica do país em número de clientes e a sexta em volume de energia fornecida.
A Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia é a terceira maior distribuidora de energia elétrica do país em número de clientes e a sexta em volume de energia fornecida.

A Micareta de Feira de Santana é uma das mais tradicionais do país. E para garantir o brilho e a energia desta festa, a Coelba, empresa do Grupo Neoenergia, deu início desde fevereiro à Operação Micareta de Feira de Santana, conjunto de ações da concessionária para assegurar o fornecimento de energia da folia. Neste ano, para a festa que acontece de 25 a 28/04, foram investidos R$ 1 milhão no conjunto de medidas que incluem manutenção preventiva, melhoramentos na rede e esquema especial de atendimento.

Desta forma, foram podadas 1.120 árvores e realizados serviços de manutenção preventiva em 280 postes e em 42 km de rede, além de substituídos 750 metros de rede de baixa tensão por cabos multiplexados (protegidos) e instalados equipamentos telecomandados, que garantem maior agilidade no atendimento.

Para garantir o suprimento de energia às cargas adicionais dos circuitos da festa, a Coelba instalou 31 novos transformadores, implantou 10 postes e construiu mais de 1,8 km de rede de baixa tensão, também multiplexada. Além disso, a empresa montou um esquema diferenciado de atendimento às solicitações da festa. Serão cerca de 100 colaboradores trabalhando em áreas estratégicas.

A concessionária também é responsável pela instalação de novas cargas e ligações de barracas, palcos e camarotes que funcionarão durante a Micareta. A expectativa da Coelba é que sejam realizadas aproximadamente cerca de 1.000 ligações especialmente para a festa deste ano. Mesmo que essas instalações sejam provisórias, é importante que os responsáveis pelas estruturas atentem para o cuidado com a segurança, principalmente com relação à necessidade do aterramento das estruturas metálicas.

Segurança

Conforme determinação dos órgãos competentes, a altura máxima dos trios elétricos e suas alegorias e ocupantes deve ser de 4,5 metros. Mesmo em locais em que não haja mais travessia, por questões de segurança, é importante que esta altura seja respeitada. Esta orientação, bem como a altura da rede elétrica estabelecida pela Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT, foi enviada pela concessionária, por meio de carta, para as entidades carnavalescas, blocos e trios para que estes fiquem atentos e evitem aumentar a altura dos trios e alegorias, respeitando o distanciamento mínimo regulamentar de 1,5 m da rede elétrica, tanto na vertical quanto na horizontal.

Uma prática que também deve ser evitada é o lançamento de serpentinas (muitas vezes metalizadas), por parte de alguns blocos e camarotes, em direção à rede elétrica. Apesar do efeito de beleza e alegria no ambiente, o lançamento deste e de qualquer objeto na rede elétrica pode causar curto-circuito e interrupção no fornecimento de energia, além do risco de acidentes para quem lança o objeto e para pessoas que estão nas proximidades.

A Coelba aproveita para dar outras dicas importantes que ajudam a evitar acidentes, além de garantir a energia desta grande festa:

– Sempre comunicar antecipadamente à Coelba todo aumento de carga, para que se avalie a necessidade reforço da rede elétrica, evitando desligamentos por sobrecarga.

– Não subir em árvores e marquises que estejam próximos à rede elétrica.

– Caso encontre algum cabo partido, não se aproximar do fio.

– Recorrer sempre aos serviços de profissionais qualificados

Não utilizar:

– Tomadas tipo “T”

– Extensões com fios inadequados

– Tomadas e fios danificados ou com isolação deficiente

– Disjuntor inadequado, com a capacidade maior do que a da corrente do fio condutor

– Cargas além da capacidade instalada ou não autorizada

– Fio neutro como terra

Não fazer:

– Aterramento em desacordo com as normas técnicas

– Desvio ilegal de energia

Sobre Carlos Augusto 9643 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).