Trabalhadores do setor hoteleiro do Extremo Sul da Bahia reivindicam piso salarial

Representantes do Sindicato dos Trabalhadores do setor hoteleiro do Extremo Sul da Bahia reivindicam piso salarial para a categoria.
Representantes do Sindicato dos Trabalhadores do setor hoteleiro do Extremo Sul da Bahia reivindicam piso salarial para a categoria.
Representantes do Sindicato dos Trabalhadores do setor hoteleiro do Extremo Sul da Bahia reivindicam piso salarial para a categoria.
Representantes do Sindicato dos Trabalhadores do setor hoteleiro do Extremo Sul da Bahia reivindicam piso salarial para a categoria.

O Sindicato dos Trabalhadores em bares, restaurantes, hotéis, pousadas e similares do Extremo Sul da Bahia (Sinthothesb) vem lutando por melhorias salariais e nas condições de trabalho da categoria na Costa do Descobrimento, em geral cidades cuja vocação turística responde por grande parte da sua economia e que tem em sua mão-de-obra a fonte geradora da riqueza do patronato.

Graças a sua atuação incansável na defesa da classe, benefícios foram conquistados nos últimos anos. Entretanto ainda há questões a serem discutidas com o sindicato patronal (Sindhesul), como o piso salarial e o Prêmio Assiduidade, concedido aos funcionários da rede hoteleira que não cometeram faltas justificadas entre 01/12/2012 a 31/01/2013, no valor máximo de R$ 77,00.

De acordo com o coordenador geral do Sinthothesb, Reginaldo Menezes, o piso salarial mínimo proposto pela entidade é de R$ 750,00, sendo que muitas empresas não o cumprem, realidade que o sindicato luta para transformar. Sendo que o salario  médio pago a eles é de R$ 678,00,que é muito pouco para supror suas necessidades básicas. ”Estamos empenhados nas ações que garantam aos trabalhadores uma nova vida, porque a realidade deles hoje é caótica.Os patrões arrecadam e insistem em dizer que estão com problemas de caixa,mas não é o que constamos,ainda mais na alta temporada.”

Ocorrerão as assembleias dos trabalhadores nos municípios de Porto Seguro,Eunápolis e Teixeira de Freitas nos dias 20,21e 22/03.

“Estamos unidos e vamos lutar para melhorar a vida dos trabalhadores da hotelaria. Não é admissível que tantos homens e mulheres gerem, com o suor do seu rosto, a riqueza daqueles que lucram com o turismo e continuem recebendo baixos salários”, concluiu Reginaldo.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9293 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).