Deputado federal Fábio Souto cobra investimentos no setor produtivo para fortalecer economia

Fábio Souto: “O consumismo incentivado pelo governo ajuda a manter a economia, mas sem sustentabilidade, será extremamente prejudicial para o Brasil. O povo está gastando mais e poupando menos. Existem milhões de carros novos nas estradas, mas as estradas estão em estado lastimável de conservação e o cidadão cada vez mais endividado. O consumo cresceu, mas a produção industrial não. Essa expansão na geração efetiva de bens e riquezas não existe. E um país que não produz não consegue crescer”.
Fábio Souto: “O consumismo incentivado pelo governo ajuda a manter a economia, mas sem sustentabilidade, será extremamente prejudicial para o Brasil. O povo está gastando mais e poupando menos. Existem milhões de carros novos nas estradas, mas as estradas estão em estado lastimável de conservação e o cidadão cada vez mais endividado. O consumo cresceu, mas a produção industrial não. Essa expansão na geração efetiva de bens e riquezas não existe. E um país que não produz não consegue crescer”.
Fábio Souto: “O consumismo incentivado pelo governo ajuda a manter a economia, mas sem sustentabilidade, será extremamente prejudicial para o Brasil. O povo está gastando mais e poupando menos. Existem milhões de carros novos nas estradas, mas as estradas estão em estado lastimável de conservação e o cidadão cada vez mais endividado. O consumo cresceu, mas a produção industrial não. Essa expansão na geração efetiva de bens e riquezas não existe. E um país que não produz não consegue crescer”.
Fábio Souto: “O consumismo incentivado pelo governo ajuda a manter a economia, mas sem sustentabilidade, será extremamente prejudicial para o Brasil. O povo está gastando mais e poupando menos. Existem milhões de carros novos nas estradas, mas as estradas estão em estado lastimável de conservação e o cidadão cada vez mais endividado. O consumo cresceu, mas a produção industrial não. Essa expansão na geração efetiva de bens e riquezas não existe. E um país que não produz não consegue crescer”.

O crescimento decepcionante do PIB brasileiro em 2012 levou o deputado Fábio Souto (Democratas/Bahia) a uma constatação: é preciso voltar a investir urgentemente na produção. Em discurso no Plenário da Câmara na terça-feira, 05 de março, o parlamentar argumentou que os estímulos do governo ao consumo melhoraram o sentimento de bem-estar da população, mas levaram o país à estagnação econômica. Segundo ele, o índice de 0,9% de evolução da economia revela uma realidade de inflação, endividamento e falta de investimento no setor produtivo brasileiro.

Nos últimos anos, o Brasil se desenvolveu menos que a média da América Latina e que grande parte dos países emergentes. Segundo Souto, esse é um sinal de alerta. “De que adianta conseguir consumir mais e ter serviços públicos precários, pagar impostos caríssimos e não obter retorno? O que não admitimos é que a população brasileira, empolgada e iludida, pague o preço da irresponsabilidade governamental. Índices de satisfação do povo e de popularidade do governo não irão sustentar as contas, muito menos o crescimento de uma nação com tamanho potencial e com muito dinheiro advindo dos impostos para investir”, concluiu.

Sobre Carlos Augusto 9462 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).