Deputado Carlos Gaban acusa governo Wagner de tentar enganar policiais com premiação por desempenho

Deputado Carlos Gaban: "E agora vem o governo apresentar como novidade um projeto que a Assembleia Legislativa aprovou há dois anos. Que lançamento é esse?Será que nenhum dos 63 deputados se lembra mais do que foi aprovado nesta Casa em 2011? Será que isso deixa satisfeita a Polícia Militar? Essa inquietação da corporação não é a toa"
Deputado Carlos Gaban: "E agora vem o governo apresentar como novidade um projeto que a Assembleia Legislativa aprovou há dois anos. Que lançamento é esse?Será que nenhum dos 63 deputados se lembra mais do que foi aprovado nesta Casa em 2011? Será que isso deixa satisfeita a Polícia Militar? Essa inquietação da corporação não é a toa"
Deputado Carlos Gaban: "E agora vem o governo apresentar como novidade um projeto que a Assembleia Legislativa aprovou há dois anos. Que lançamento é esse?Será que nenhum dos 63 deputados se lembra mais do que foi aprovado nesta Casa em 2011? Será que isso deixa satisfeita a Polícia Militar? Essa inquietação da corporação não é a toa"
Deputado Carlos Gaban: “E agora vem o governo apresentar como novidade um projeto que a Assembleia Legislativa aprovou há dois anos. Que lançamento é esse?Será que nenhum dos 63 deputados se lembra mais do que foi aprovado nesta Casa em 2011? Será que isso deixa satisfeita a Polícia Militar? Essa inquietação da corporação não é a toa”

O lançamento do Prêmio Destaque Policial, que irá gratificar, em dinheiro, os profissionais que cumprirem metas estipuladas, foi criticado pelo vice-líder da oposição na Assembleia Legislativa, deputado Carlos Gaban (DEM). O parlamentar acusou o governador de tentar enganar os policiais baianos ao apresentar como novidade uma lei aprovada pela Casa em dezembro de 2011 – projeto de lei nº12.371/11 -, que, entre outras coisas, “estabelece regras para Concessão do Prêmio por Desempenho Policial”.

Gaban, que também é vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Casa, explicou que a aferição do prêmio se daria em 2011, com efeitos financeiros a partir de 2012. O deputado concluiu que a gratificação do desempenho policial já deveria ter sido paga desde o ano passado, mas isso não aconteceu, apesar das taxas de homicídio em 2011 ter apresentado uma redução de 5,39% com relação a 2010, conforme estatística da própria Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP).

O parlamentar observou que o prêmio agora só poderá ser concedido em 2014, caso haja uma redução dos índices de violência em 2013, já que, no ano passado, somente em Salvador e região metropolitana, as ocorrências policiais apresentaram crescimento significativo em ralação a 2011. “Isso sem contar o atual nível de criminalidade, que está fora de controle. Somente este ano, já tivemos mais de 440 homicídios em Salvador. Os policiais estão sendo prejudicados e enganados pelo governo, que está usando essa gratificação como novidade, quando já deveria estar pagando a esses profissionais”, concluiu.

Sobre Carlos Augusto 9515 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).