Decreto exclui Feira de Santana e STR Feira alerta sobre o problema

Presidente STR FEIRA José Ferreira (Zé Grande): “A falta da incorporação da cidade pode provocar problemas mais graves e aumentos nos preços dos produtos da agricultura familiar desordenados, por causa da falta de apoio e uma política preventiva contra a estiagem”
Presidente STR FEIRA José Ferreira (Zé Grande): “A falta da incorporação da cidade pode provocar problemas mais graves e aumentos nos preços dos produtos da agricultura familiar desordenados, por causa da falta de apoio e uma política preventiva contra a estiagem”
Presidente STR FEIRA José Ferreira (Zé Grande): “A falta da incorporação da cidade pode provocar problemas mais graves e aumentos nos preços dos produtos da agricultura familiar desordenados, por causa da falta de apoio e uma política preventiva contra a estiagem”
Presidente STR FEIRA José Ferreira (Zé Grande): “A falta da incorporação da cidade pode provocar problemas mais graves e aumentos nos preços dos produtos da agricultura familiar desordenados, por causa da falta de apoio e uma política preventiva contra a estiagem”

A forte estiagem que vem assolando cada vez mais o município de Feira de Santana, nos últimos meses, vem causando diversos problemas nas comunidades, que estão a sobreviver através de sextas básicas doadas pelas comunidades, após apelo do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Feira de Santana (STR Feira). Com a perda 90% do plantio do o feijão, do milho e da mandioca, a sociedade paga em média 6,00 reais pelo kg do feijão e farinha. Outro problema agravante é a falta de água, mesmo com o ‘apoio’ do exercito e da prefeitura, a ajuda é insuficiente. Tudo isso é provocado pela falta de políticas públicas definidas e preventivas, por parte dos governos estaduais e municipais, o problema se estende ano após ano.

Com a decisão publicada no Diário Oficial do Estado, no sábado (09/03/2013), o Governador do Estado da Bahia Jacques Wagner decretou estado de emergência por conta da seca, em 214 cidades baianas, por surpresa do STR Feira, a Princesa do Sertão ficou de fora do decreto, causando problemas ainda maiores para as nossas comunidades. A falta da incorporação da cidade neste decreto deixa o município com ações limitadas, não terá novos investimentos e recursos para a zona rural, para a ampliação de ações emergenciais, contra a seca, como por exemplo: mais carros pipas, limpeza de tanques, cavar novos tanques, novas frentes de trabalho e até a distribuição de sexta básicas.

O STR Feira reconhece o papel do Governo do Estado mais não podemos deixar de cobrar do governador a inclusão do município de Feira de Santana, neste decreto, para podermos salvar vidas e dar esperanças às famílias de agricultores familiares.

Dados da zona rural de Feira de Santana:

– em 2011, perda de 80% e em 2012, perda de 90% das plantações.

– 8 distritos população média de 25 mil habitantes agricultor familiar.

Sobre Carlos Augusto 9508 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).