Secretário de Educação de Salvador quer manter diálogo e considera paralisação dos professores precipitada

João Carlos Bacelar: “Não vamos recuar no nosso objetivo de oferecer um ensino de qualidade para nossas crianças, garantindo alfabetização logo no primeiro ano (aos seis anos de idade) e a ampliação do tempo de permanência do aluno na escola, bandeiras históricas dos próprios educadores. Esse é o desejo dos alunos, dos pais dos alunos e do prefeito ACM Neto. Todos os esforços da Prefeitura são no sentido de colocar o nível de ensino ministrado no município no mesmo patamar das melhores escolas da rede privada. Disso não vamos abrir mão e temos a certeza de que contamos com o apoio dos professores e da sociedade." (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
João Carlos Bacelar: “Não vamos recuar no nosso objetivo de oferecer um ensino de qualidade para nossas crianças, garantindo alfabetização logo no primeiro ano (aos seis anos de idade) e a ampliação do tempo de permanência do aluno na escola, bandeiras históricas dos próprios educadores. Esse é o desejo dos alunos, dos pais dos alunos e do prefeito ACM Neto. Todos os esforços da Prefeitura são no sentido de colocar o nível de ensino ministrado no município no mesmo patamar das melhores escolas da rede privada. Disso não vamos abrir mão e temos a certeza de que contamos com o apoio dos professores e da sociedade." (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
João Carlos Bacelar: “Não vamos recuar no nosso objetivo de oferecer um ensino de qualidade para nossas crianças, garantindo alfabetização logo no primeiro ano (aos seis anos de idade) e a ampliação do tempo de permanência do aluno na escola, bandeiras históricas dos próprios educadores. Esse é o desejo dos alunos, dos pais dos alunos e do prefeito ACM Neto. Todos os esforços da Prefeitura são no sentido de colocar o nível de ensino ministrado no município no mesmo patamar das melhores escolas da rede privada. Disso não vamos abrir mão e temos a certeza de que contamos com o apoio dos professores e da sociedade." (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) – Jornal Grande Bahia)
João Carlos Bacelar: “Não vamos recuar no nosso objetivo de oferecer um ensino de qualidade para nossas crianças, garantindo alfabetização logo no primeiro ano (aos seis anos de idade) e a ampliação do tempo de permanência do aluno na escola, bandeiras históricas dos próprios educadores. Esse é o desejo dos alunos, dos pais dos alunos e do prefeito ACM Neto. Todos os esforços da Prefeitura são no sentido de colocar o nível de ensino ministrado no município no mesmo patamar das melhores escolas da rede privada. Disso não vamos abrir mão e temos a certeza de que contamos com o apoio dos professores e da sociedade.” (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) – Jornal Grande Bahia)

O secretário municipal de Educação, João Carlos Bacelar, considerou precipitada e fora de qualquer contexto a paralisação de 48 horas decidida hoje (20/02/2013) pela APLB/Sindicato, entidade que congrega os professores da rede municipal de ensino, logo no terceiro dia do ano letivo e em pleno processo de negociação entre a Prefeitura e os representantes da categoria.

O secretário não entende a reação dos professores contrários à ampliação em duas horas e meia por semana semanal (meia hora por dia dia) na carga horária dos alunos – sem alteração da jornada de trabalho da categoria – e a implantação do Sistema Estruturado de Ensino, que introduz uma nova metodologia em todas as escolas do município.

As duas medidas, anunciadas pela Prefeitura desde os primeiros dias da nova gestão, tem o caráter de elevar a qualidade do ensino oferecido aos 135 mil alunos da rede municipal, com o intuito de melhorar o aprendizado e o desempenho educacional dos estudantes.

O secretário lembrou que a nova administração municipal tem se caracterizado pelo diálogo, pelo entendimento e pela busca incessante do consenso com a categoria dos professores e se pautado pela correção em tudo aquilo que é acordado, fruto de reivindicações do professorado. Não cabendo, portanto, uma posição de radicalização e intransigência num momento em que todos devem se unir para solucionar o grave problema do nosso baixo desempenho nos índices de avaliação educacional.

A Prefeitura convoca os professores a darem continuidade as suas atividades e a APLB/Sindicato a manter o diálogo aberto e construtivo com a Secretaria de Educação, de forma que nossos alunos não sejam prejudicados.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9990 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).