Minas de ouro em SantaLuz e de vanádio em Maracás serão inauguradas este ano

Hari Alexandre Brust, presidente da CBPM - Companhia Baiana de Pesquisa Mineral.
Hari Alexandre Brust, presidente da CBPM - Companhia Baiana de Pesquisa Mineral.
Hari Alexandre Brust, presidente da CBPM - Companhia Baiana de Pesquisa Mineral.
Hari Alexandre Brust, presidente da CBPM – Companhia Baiana de Pesquisa Mineral.

Mina de ouro será inaugurada em maio Os investimentos realizados no projeto, até o momento, atingem cerca de US$ 200 milhões

Importante visita técnica da diretoria da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral – CBPM foi realizada às localidades das futuras minas de ouro em Santa Luz e de vanádio em Maracás, nos dias 30 e 31 de janeiro de 2013, pelo Presidente Hari Alexandre Brust, juntamente com o diretor técnico Rafael Avena Neto, com o gerente Raymundo Wilson e o engenheiro de minas Laelson Dourado Ribeiro. O objetivo principal foi verificar “in loco” o andamento dos trabalhos finais para a Implantação desses dois empreendimentos, previstos para serem inaugurados em março, no caso da mina de ouro de Santa Luz e em novembro deste ano, no caso da mina de vanádlo de Maracás, cuja Pedra Fundamental será lançada no dia 21 de fevereiro pelo governador Jaques Wagner.

A mina de Santa Luz situa-se em áreas pertencentes à CBPM, arrendadas à Yamana Gold Inc., mineradora, com sede no Canadá e que atua na exploração em diversos estágios da cadela produtiva do ouro. A Yamana conta com bases de captação no Brasil, Argentina, Chile, México e Colômbia, criando oportunidades de trabalho nesses países, tanto na área operacional quanto administrativa. Os investimentos realizados no projeto, até o momento, atingem cerca de US$ 200 milhões. Com relação à mão de obra, atualmente trabalham na montagem do projeto cerca de. 1.100 profissionais. Quando ocorrer a etapa de produção, esta quantidade de profissionais deverá ser da ordem de 700. Para um município situado na área do semiárido, este número de trabalhadores em uma empresa pode ser considerado como de extrema relevância na geração de emprego e renda para a região.

A lavra inicial do ouro deverá ser inicialmente a céu aberto, até o limite provavelmente de 240 metros, e os estudos técnicos mostram, que as reservas prováveis desse bem mineral devem atingir, a cerca de 1,5 milhão de onças (oz), sendo que já existem mais de 582.000 onças de reservas medidas e Indicadas. A Yamana pretende Iniciar a sua produção no mês de março de 2013, sendo que nos próximos dois anos deverá ter uma produção de 130,000 oz/ano. O ROM (Run of Mine), para a extração a céu aberto e beneflclamento do minério deverá ser da ordem de 2.5 milhões de toneladas por ano, com um teor médio 2,15g/t de ouro.

O minério deverá sofrer um tratamento através de fitação e carbon In leach e pelos dados obtidos até o momento a vida útil da mina deverá ser de mais de 10 anos. Estes dados correspondem apenas ao “Alvo C1”, Isto é, a área pertencente à CBPM. Acredlta-se que os recursos totais de minérios devam atingir a 29.000.000 de toneladas, sendo que 73% deverão ser explorados através de mina a céu aberto, com teor de 1,78 g/t de ouro e a mina subterrânea, 27% com teor de 3,22g/t de ouro. Vale salientar que o “Alvo C1” possui 37% deste total de recursos minerais estudados até o momento.

Com informações da Tribuna da Bahia.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 109848 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]